O alemão Lennard Kämna (BORA-hansgrohe) venceu isolado a quarta e penúltima etapa do Critério do Dauphiné, com o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma) a seguir na liderança da geral.

Lennard Kämna vence 4ª etapa do Critério do Dauphiné, Primoz Roglic segue na liderança
© A.S.O./ Alex Broadway

Kämna, de 23 anos, conseguiu hoje a primeira vitória enquanto profissional de elite ao chegar sozinho numa chegada em alto de segunda categoria, em Megève, ao cabo de 153,5 quilómetros.

Depois da partida em Ugine, o alemão completou a tirada em 4:27.56 horas, 41 segundos menos do que o espanhol David de la Cruz (UAE Emirates), segundo, e 56 do que o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step), que fechou o pódio.

Lennard Kämna vence 4ª etapa do Critério do Dauphiné, Primoz Roglic segue na liderança
© A.S.O./ Alex Broadway

Kämna fez parte da fuga do dia e acabou por surpreender o pelotão, tendo revelado, após o final, que a estratégia da equipa passava por apoiar o alemão Emmanuel Buchmann, que hoje abandonou após uma queda na fase inicial da etapa.

Lennard Kämna vence 4ª etapa do Critério do Dauphiné, Primoz Roglic segue na liderança
© A.S.O./ Alex Broadway

O líder da BORA-hansgrohe é um dos nomes apontados à Volta a França que abandonou o Critério, tradicional antecâmara do Tour, devido a problemas físicos, à semelhança do austríaco Gregor Mühlberger, seu colega de equipa, mas também o holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), todos vítimas da mesma queda.

Antes, o vencedor do Tour de 2019, o colombiano Egan Bernal (INEOS), não partiu para o penúltimo dia com queixas nas costas, procurando salvaguardar-se para a defesa da vitória na ‘grande boucle’.

Lennard Kämna vence 4ª etapa do Critério do Dauphiné, Primoz Roglic segue na liderança
© A.S.O./ Alex Broadway

Os favoritos à vitória final do Dauphiné chegaram juntos, com 3.01 minutos de diferença para o vencedor, com Roglic, 10.º, a segurar a amarela, mesmo também tendo caído, antes do francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), nono.

Na geral, o esloveno tem 14 segundos para Pinot, segundo, com o também francês Guillaume Martin (Cofidis) em terceiro, a 24 segundos.

O único português em prova, Nelson Oliveira (Movistar), não concluiu a etapa e abandonou o Critério do Dauphiné.

A vitória final decide-se hoje, na quinta e última etapa, com nova tirada acidentada em torno de Megève, com quatro subidas de segunda categoria, uma de primeira categoria e uma outra de categoria especial, ao longo de 153,5 quilómetros.