Kate Courtney entrou na época de 2019 com a camisola de Campeã do Mundo e venceu três etapas consecutivas na Taça do Mundo, neste último episódio de 2019 da série “Rising” Kate Courtney fala da importância do Jogo Mental.

Kate Courtney fala da importância do Jogo Mental
© Sven Martin, Rainedupon Media

Kate estava pronta para dar tudo, mas a sequência de vitórias não se manteve, ela teve que se aplicar a 100% e manter o foco no seu objectivo para a final da Taça do Mundo.

Como qualquer campeão sabe, não importa se fores derrubado, o mais importante é voltares à luta e dares tudo por tudo.

A PRESSÃO

Começar a época com a camisola de Campeã do Mundo significava que todos os olhares estariam em cima da Kate para 2019. Começar com três vitórias na Taça do Mundo só aumentou a atenção sobre ela.

© Sven Martin, Rainedupon Media

Apenas no seu segundo ano de Elite, o mundo estava curioso para saber aquilo que esta estrela em ascensão seria capaz de fazer. Mas as altas expectativas e a pressão podem pesar bastante numa atleta jovem. Isso exigiu um novo nível de força mental da Kate.

O PROCESSO

Manter-se como atleta requer disciplina. É um bom equilíbrio entre saber quando se deve apostar tudo ou quando simplesmente se deve fazer uma pausa – uma técnica que certamente não é normal para uma atleta que atinge o seu nível por ser extraordinariamente boa em esforçar-se quando as outras pessoas já estão em casa há muito tempo.

© Sven Martin, Rainedupon Media

Dito isto, todos os atletas de qualquer nível vão enfrentar altos e baixos para os quais simplesmente não podem treinar. A experiência é o único professor.

A APRENDIZAGEM

Depois de um período intenso no campo de treinos a meio do verão, a Kate acabou exausta e os seus resultados reflectiram isso. Ela teve que dar um passo atrás e relembrar o porquê de estar em primeiro lugar: como a equipa diz, #funisfast e #fastisfun.

© Sven Martin, Rainedupon Media

Ela teve que aproveitar a época com calma e de se concentrar nos aspectos mais importantes da sua situação. Foi um processo de aprendizagem onde por vezes manter o sorriso no rosto no final da prova era o objectivo principal.

OLHAR PARA O FUTURO

Para a Kate a época de 2019 foi uma montanha-russa de altos e baixos mas o seu principal objectivo nunca deixou saiu do seu foco: Campeã da Taça do Mundo – um feito incrível para uma atleta de 23 anos de idade, apenas no seu segundo ano de competição em elite.

© Sven Martin, Rainedupon Media

Com uma longa lista de aprendizagens, ela pode entrar na época de 2020 e nos Jogos Olímpicos de Tóquio com mais confiança para superar os obstáculos que terá de enfrentar.

Entrevista a Kate Courtney

© Sven Martin, Rainedupon Media

P: Consegues resumir esta época em poucas palavras?

R: Esta temporada mostrou o que é possível quando trabalhas arduamente com uma grande equipa ao teu redor, mantém-te aberto a novas aprendizagens e permanece optimista na busca de grandes objectivos.

P: O que dirias a outros jovens atletas que estão a passar por uma época de altos e baixos de forma a incentivá-los?

R: Adoro a citação, “não é o topo da montanha que a sustenta, são os lados.” Para mim, lembra-me que a jornada é a subida que leva a esses momentos espectaculares no topo, ajuda-me a manter em perspectiva o objectivo de sair e de dar o meu melhor todos os dias – independentemente do resultado. Nem sempre é fácil de aproveitar este processo e de confiar nele quando as coisas não estão a correr como esperavas, mas seguir em frente nesses dias é tão importante para o teu sucesso quanto aproveitar os dias em que tudo corre bem.

© Sven Martin, Rainedupon Media

P: Como permaneceste tão forte mentalmente durante toda a época?

R: O meu jogo mental é algo em que me concentro muito – e tenho uma grande ajuda! Trabalho com um psicólogo desportivo e tenho a sorte de estar rodeada por uma equipa que se preocupa comigo e que acredita em mim. No final de contas, uma das minhas maiores forças nesse desporto é o meu amor genuíno pelo ciclismo. Posso sempre voltar ao facto de que andar com pessoas de quem gosto me traz alegria, dá-me uma nova motivação para permanecer optimista e para me esforçar para o meu próximo grande objectivo.

© Sven Martin, Rainedupon Media

P: Do que aprendeste esta época, o que vais levar daqui para a frente para permaneceres optimista e para te motivares para o teu próximo grande objectivo?

R: Esta época aprendi tantas lições! Até hoje, foi uma das minhas épocas mais bem-sucedidas, gratificantes e desafiadoras, deixou-me uma mistura de confiança, humildade e motivou-me para o ano olímpico. Uma coisa que aprendi é que a persistência compensa – nunca sabes quando podes estar a um passo de alcançar um sonho. Se parares de seguir em frente, talvez nunca saibas o que poderia ter sido possível.

© Sven Martin, Rainedupon Media

P: O que te espera depois deste final de época?

R: Um pouco de descanso e longos passeios de bicicleta com os meus amigos!

Deixar uma resposta