Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 vão realizar-se entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021, praticamente um ano depois das datas previstas.

Os Jogos Olímpicos estavam marcados para decorrerem entre 24 de julho e 09 de agosto de 2020, mas foram adiados em um ano, devido à pandemia de covid-19.

O anúncio foi feito por Yoshiro Mori, pouco depois de uma conversa telefónica com o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach.

“Os Jogos Olímpicos vão realizar-se entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021. Os Jogos Paralímpicos disputar-se-ão entre 24 de agosto e 05 de setembro [de 2021]”, anunciou Mori, em Tóquio, em conferência de imprensa convocada com urgência.

Poucas horas antes, o presidente da comissão organizadora de Tóquio2020 tinha indicado que o COI deveria fazer “um anúncio durante esta semana” a respeito das datas em que o evento poderia decorrer em 2021.

“As novas datas proporcionam às autoridades sanitárias e aos organizadores mais tempo para lidar com as alterações e problemas provocados pela pandemia de covid-19”, sustentou o COI, assinalando que as novas datas tentam minimizar os efeitos negativos que o adiamento “poderia causar no calendário desportivo internacional”.

A comunicação social japonesa noticiou que os responsáveis pela organização poderiam aproveitar o adiamento dos Jogos Olímpicos para anteciparem a prova para a primavera de 2021, evitando dessa forma as temperaturas elevadas que se registam em Tóquio no verão, o que não veio a acontecer.

O COI já tinha alterado o programa inicial deste ano, nomeadamente, o local da realização da maratona e das provas de marcha, transferidas para Sapporo, no extremo norte do Japão, a fim de limitar os riscos de saúde dos participantes.

“A humanidade encontra-se num túnel escuro e Tóquio2020 pode ser a luz que está no fim”, assinalou o presidente do COI, Thomas Bach, no comunicado emitido hoje.

Na terça-feira passada, o COI e o Governo japonês “concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada em Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020 e nunca depois do verão de 2021”.