João Almeida ganha Liège-Bastogne-Liège

51
📷 Hagens Berman Axeon

João Almeida (Hagens Berman Axeon) tornou-se hoje no primeiro português a vencer a corrida de sub-23 da clássica velocipédica Liège-Bastogne-Liège.

O corredor português de 19 anos impôs-se no velódromo de Ans, após os 173,4 quilómetros desde Bastogne e Ans, aos seus companheiros de fuga, deixando o italiano Andrea Bagioli (Colpack) e o francês Alexys Brunel (CC Etupes), na segunda e terceira posições, respetivamente.

O ciclista português João Almeida (Hagens Berman Axeon) mostrou-se hoje bastante feliz pela vitória “incrível” na corrida de sub-23 da clássica belga Liège-Bastogne-Liège, confessando que “ainda está a viver o sonho”.

Em declarações à agência Lusa, após se tornar no primeiro português a vencer uma prova desta categoria, João Almeida afirmou que “ainda não acredita” no feito alcançado na Bélgica, depois de percorrer 173,4 quilómetros em 4:09.29 horas.

“É incrível. Ainda nem estou em mim, nem consigo acreditar. Parece que é um sonho ainda e não tenho palavras para descrever. É simplesmente inacreditável”, começou por revelar.

O ciclista luso, de apenas 19 anos, explicou como atacou a frente da corrida para triunfar com 15 segundos de vantagem sobre o italiano Andrea Bagioli (Colpack) e o francês Alexys Brunel (CC Etupes), que terminaram imediatamente atrás, em segundo e em terceiro lugar, respetivamente.

“Numa descida, a seis ou sete quilómetros do fim, investi e mantive o espaço. Na última subida consegui aumentar o espaço e passar o francês [Alexys Brunel], que ficou para trás até à meta. Foi um teste tremendo até ao fim”, declarou.

João Almeida confessou ainda que “nunca pensou chegar sozinho” ao fim da prova e que “se superou de todas as maneiras”.

O português destacou-se do restante grupo de fugitivos nos últimos 10 quilómetros, conseguindo vantagem suficiente para ganhar a prova isolado e suceder no historial de vencedores ao holandês Bjorg Lambrecht.

O melhor resultado de um português neste escalão tinha sido o terceiro lugar obtido por Ruben Guerreiro, em 2016.

Ivo Oliveira (Hagens Berman Axeon) terminou a prova na 20.ª posição, a 40 segundos do seu companheiro de equipa, enquanto Tiago Antunes (Centro Mundial de Ciclismo) não foi além do 107.º posto, a 10.05 minutos do vencedor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome