O colombiano Jarlinson Pantano foi hoje suspenso por quatro anos pela União Ciclista Internacional (UCI), na sequência de um positivo por eritropoetina (EPO) em fevereiro de 2019.

O Tribunal Antidoping da UCI considerou o corredor “culpado de uma violação das regras antidoping (presença de eritropoetina recombinante)”, impondo ao colombiano uma sanção de quatro anos.

Jarlinson Pantano estava suspenso de forma provisória desde 15 de abril de 2019, devido a um controlo positivo por EPO, realizado fora de competição, em 26 de fevereiro.

À data, o ciclista colombiano, agora com 31 anos, representava a Trek-Segrafedo, que suspendeu de imediato o corredor, enquanto aguardava pela decisão da UCI.

Pantano, que tem como principal resultado na carreira a conquista de uma etapa na Volta a França de 2016 e que se destacou como um ‘animador’ de etapas no Tour, afirmou-se inocente, mas optou por não se defender, anunciando a retirada do ciclismo em junho do ano passado.

“Nunca usei EPO. Não tinha qualquer motivo para fazer tal coisa nesta fase da minha carreira. Tinha dois anos de contrato e estava a viver os meus melhores anos no pelotão. Além disso, tenho uma fundação de crianças e sempre os alertei contra a dopagem”, argumentou então o campeão nacional colombiano de contrarrelógio de 2017.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome