O ciclista espanhol Iván García Cortina (Bahrain-Merida) venceu ao sprint a quinta etapa da Volta à Califórnia, após a qual o norte-americano Tejay van Garderen (Education First) manteve a liderança.

Photo by Chris Graythen/Getty Images

García Cortina, que cumpriu os 218,5 quilómetros entre Pismo Beach e Ventura em 4:56.11 horas, festejou aos 23 anos a sua primeira vitória como profissional, impondo-se ao argentino Maximiliano Richeze (Deceuninck-Quick Step) e ao colombiano Sergio Higuita (Education First).

Os melhores sprinters do pelotão, entre os quais o eslovaco Peter Sagan (BORA-hansgrohe), vencedor da primeira etapa, não estiveram na discussão do triunfo, uma vez que perderam o contacto com o grupo da frente na última subida do dia, uma rampa de três quilómetros.

Photo by Chris Graythen/Getty Images

Van Garderen chegou integrado no primeiro pelotão, com mesmo do vencedor, e teve um dia tranquilo, ao contrário da véspera, em que caiu a oito quilómetros do final e, na sequência de um abrandamento provocado pela queda de outros corredores mais à frente, antes de beneficiar de uma decisão controversa dos comissários que lhe permitiu manter a camisola amarela.

Photo by Chris Graythen/Getty Images

Apesar de o atraso ter acontecido antes dos últimos três quilómetros e de Van Garderen não estar ainda em contacto com o grupo, o júri aplicou a norma que protege os corredores em caso de incidente naquela fase da corrida, atribuindo-lhe o mesmo tempo do vencedor, quando tinha perdido perto de um minuto. A decisão motivou um protesto formal da Astana.

Photo by Chris Graythen/Getty Images

Vencedor da prova em 2013 e líder desde a segunda etapa, Van Garderan tem quatro segundos de vantagem sobre o dinamarquês Kasper Asgreen (Deceuninck-Quick Step), que subiu ao segundo lugar graças a bonificações e remeteu o italiano Gianni Moscon (INEOS) para terceiro, a seis segundos.

Photo by Chris Graythen/Getty Images

Os portugueses Rui Oliveira (UAE-Emirates) e João Almeida (Hagens Berman Axeon), chegaram no segundo grupo, em 35.º e 36.º, respetivamente, a 28 segundos do vencedor, enquanto José Gonçalves (Katusha-Alpecin) terminiu em 100.º, a 6.18. Na geral, Almeida saltou quatro posições, para 36.º, a 8.41, ao passo que Gonçalves segue em 60.º, a 24.43, e Oliveira em 61.º, a 25.28.

A sexta e penúltima etapa, que liga Ontario ao Monte Baldy, tem apenas 127,5 quilómetros, mas duas subidas de primeira categoria e uma de categoria especial, a coincidir com a meta, podem revolucionar a classificação.

Deixar uma resposta