PUB

A segunda etapa da Corrida da Paz, que ligou Bruntál a Dlouhé stráně fez grandes diferenças na classificação geral. Os corredores portugueses Pedro Silva e Hélder Gonçalves conseguiram manter-se entre os primeiros, terminando a etapa de hoje em 14.º e 15.º, respetivamente.

À semelhança daquilo que aconteceu no dia de ontem, a fuga do dia teve dois corredores, Enzo Leijnse (Países Baixos) e Mattéo Vercher (França), que chegaram a ter uma vantagem de 2m30s. Esta segunda etapa prometia muita emoção, ligando Bruntál a Dlouhé stráně, num percurso   bastante duro de 134,6 quilómetros.

PUB

Por volta do quilómetro 80, o ritmo do pelotão começou a aumentar, levando a que a vantagem dos fugitivos começasse a descer, acabando por ser alcançados pelo pelotão. Pouco depois iniciava-se a subida para o terceiro prémio de montanha, com Hélder Gonçalves a ser o primeiro a passar.

Nos 30 quilómetros finais surgiram as maiores dificuldades, com uma segunda passagem por esta mesma subida, mas desta vez a caminho da meta. O pelotão estava já reduzido a apenas 23 atletas, sendo que entre eles estavam ainda Hélder Gonçalves e Pedro Silva. Nesta altura era a seleção da Chéquia a tomar as rédeas da corrida.

O pelotão foi ficando cada vez mais reduzido e, na aproximação à meta foi o belga Lennert Van Eetvelt a destacar-se perante o espanhol Alejandro Franco e o australiano Rudy Porter, ambos a um segundo do vencedor.

Pouco depois chegariam Pedro Silva e Hélder Gonçalves, em 14.º e 15.º, a 1m21s e 1m22s, respetivamente. Depois chegariam Pedro Pinto, em 36.º, a 6m43s, João Medeiros, em 43.º, a 8m20s, Afonso Silva, em 44.º, a 8m33s, e Fábio Fernandes, em 78.º, a 17m33s.

O selecionador nacional, José Poeira, mostrou-se satisfeito com o resultado conseguido entre um pelotão de grande classe a nível mundial. “A etapa de hoje foi muito difícil, por isso terminar entre os 15 primeiros é muito bom. O Pedro Silva é um corredor muito bom que está a mostrar as suas qualidades, a mesma coisa se aplica ao Hélder Gonçalves que hoje também esteve muito bem. A etapa de amanhã vai ser complicada, pois tem várias subidas e zonas bastante técnicas que requerem atenção redobrada. É possível que o final possa ser ao sprint e, nesse caso, com uma boa colocação, poderemos ter hipótese de fazer mais um bom resultado”.

Com este resultado, os dois corredores portugueses mais bem classificados no dia de hoje garantiram um lugar entre os 20 primeiros da classificação geral. Pedro Silva é agora 13.º, a 1m38s do líder, Lennert Van Eetvelt, e Hélder Gonçalves ocupa o 17.º lugar, a 1m49s.

A etapa de amanhã, que será também a última da competição vai disputar-se em Jeseník, num percurso de 166,7 quilómetros.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui