Grande Prémio JN: Rafael Silva vence etapa inaugural e é primeiro líder

63

A 1º etapa tem partida e chegada no mesmo local, em Viseu e deu o tiro de partida no 28º Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc.

© João Fonseca

Assistimos a uma etapa muito mexida logo a partir do km 0, com a tentativa de formação de fugas, a primeira tentativa por intermédio do francês Quentin Tans (Massi-Kuwait Team) que rapidamente ganhou 40 segundos sobre o pelotão, no entanto rapidamente foi apanhado pelo pelotão e ao km 10 esta fuga já tinha sido anulada.

Ao km 16, em Mangualde, encontramos a primeira meta volante , com atribuição de bonificações, onde os interessados na vitoria final tiveram de se aplicar. Assim, à passagem deste ponto intermédio, Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista) foi o primeiro, bonificando 3″, logo seguido de Joni Brandão (Sporting-Tavira), garantindo uma bonificação de 2″ e finalmente David de la Fuente (Aviludo-Louletano-Uli) amealhando 1 precioso segundo.

© João Fonseca

Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista), voltou a atacar novamente, ganhando alguns segundos ao pelotão a que se juntou Guillaume Almeida (Fortunna/Maia) e Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense), formando estes o trio fugitivo. Júlio Gonçalves (LA Alumínios) tentou também a sua sorte de se juntar aos primeiros, ainda se manteve alguns quilometros em posição intermédia, no entanto seria absorvido pelo grupo principal.

Ao quilometro 39,5 temos a meta volante de Sátão cuja ordem de passagem foi a seguinte:

© João Fonseca

1. Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense)
2. Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista)
3. Guillaume Almeida (Fortunna/Maia)

Os homens do Sporting Tavira tomaram conta da frente do pelotão e encetaram uma persuguição para anular os 3m30s que tinha o trio da frente. Ao quilometro 86 esta diferença era somente de 1m40s.

© João Fonseca

Em Vouzela (km 88) temos a primeira dificuldade do dia, um prémio de montanha de 3ª categoria e cuja ordem de passagem foi a seguinte:

1. Guillaume Almeida (Fortunna/Maia)
2. Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista)
3. Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense)

© João Fonseca

Ao km 99, a 1 km da ultima montanha, o pelotão estava já apenas a 40s do trio fugitivo, no entanto, a 2ª categoria da Carrapatosa ainda foi disputada por estes. A ordem de passagem no topo foi:

1. Guillaume Almeida (Fortunna/Maia)
2. Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista)
3. Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense)

A fuga foi anulada logo a seguir a esta dificuldade, seguindo o pelotão compacto para a meta.

Adivinhava-se uma chegada ao sprint com os respectivos “comboios” das equipas a alinharem-se nervosamente nos quilometros finais.

A Efapel colocou os seus homens na dianteira à entrada para os últimos 200 metros. Rafael Silva venceu e o colega de equipa Daniel Mestre foi o segundo classificado. O terceiro foi César Fonte (W52-FC Porto).

© João Fonseca

Guillaume Almeida (Fortunna/Maia) aproveitou a fuga para conquistar o primeiro posto na classificação dos trepadores. A geral das metas volantes está encabeçada por Domingos Gonçalves com a mesma pontuação (3 pontos) de Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense), seguidos por Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista) com 2 pontos.

Na classificação por equipas, a AVILUDO/LOULETANO encontra-se no primeiro lugar, seguida da RADIO POPULAR/BOAVISTA e da W52/FC PORTO.

Amanhã corre-se a segunda etapa, numa ligação de 127,5 quilómetros entre Viana de Castelo e Monção, com metas volante em Vila Verde e Arcos de Valdevez, e duas contagens de montanha de terceira categoria, em Portela do Vade e Alto do Extremo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome