Francisco Campos sobe ao 2.º lugar da Geral no Troféu Liberty Seguros em Sub-23

27

Francisco Campos, da equipa Continental UCI Miranda-Mortágua foi ontem, dia 11 de março, o 4.º melhor Sub-23 na Clássica da Arrábida – Cyclin’Portugal, lugar que lhe deu a subida ao 2.º lugar na Classificação Geral do Troféu Liberty Seguros neste escalão. Foi mais uma prova marcada pelas condições meteorológicas adversas, que dificultaram muito o trabalho da restante equipa para chegar aos objetivos pretendidos.

Com um percurso encurtado devido ao mau tempo, dos 145,4 km da Clássica da Arrábida, que uniram Sesimbra a Setúbal, fizeram parte três setores de terra batida (“sterrato”) e quatro subidas pontuáveis para o prémio de montanha.

Contudo, não foi a chuva nem o vento e frio que intimidaram o pelotão, que pedalou a alta velocidade, percorrendo 49 km na primeira hora de corrida.

Ainda antes da entrada nos setores de terra batida, o pelotão já estava partido em vários grupos. À chegada do primeiro troço de “sterrato”, Francisco Campos e Gonçalo Carvalho eram os dois ciclistas Miranda-Mortágua que se mantinham no grupo principal. Embora a organização tenha feito tudo para minimizar ao máximo os estragos provocados pelas condições adversas do tempo, o solo destes troços estava muito irregular acabando por trair Gonçalo Carvalho, que foi vítima de uma queda aparatosa que o obrigou a abandonar a prova de imediato, por provocar algumas lesões na cara.

Os primeiros 15 classificados saíram da fuga inicial, e no grupo principal, lá estava Francisco Campos, que resistiu a todas as dificuldades montanhosas chegando em 21.º lugar no final da etapa, num grupo a 2 minutos do vencedor Dmitrii Strakhov (Lokosphinx), que atacou e esteve os últimos 50 km isolado em solitário na frente da corrida.

Este resultado permitiu que Francisco Campos fosse o 4.º melhor Sub-23 na etapa e subisse ao 2.º lugar na Geral do Troféu Liberty Seguros nesta categoria, o que deixou Pedro Silva, diretor desportivo da equipa, “muito satisfeito”.

“Foi uma corrida com condições meteorológicas muito adversas, com troços ‘sterrato’ a complicar ainda mais a ação dos ciclistas. Nem todos se adaptaram à chuva e ao vento, mas embora triste com a perda de um elemento na corrida e na Volta ao Alentejo, saio satisfeito, em especial com Francisco Campos, que chegou no grupo
principal sendo o 1.º em Sub-23 português, confirmando as boas indicações para o
futuro”, referiu o dirigente, em jeito de balanço.

A época não começou da melhor forma para a Miranda-Mortágua, que tem sofrido
uma “maré de azares”, como o próprio Pedro Silva define. “Mas vamos aguardar com
serenidade que as coisas mudem e nos comecem a ser propícias, porque azar, já
basta até agora”, rematou.

A equipa volta à competição já na quarta-feira, dia 14, com a 36.ª Volta ao Alentejo,
prova internacional da categoria 2.2 que se disputa até 18 de março (domingo).

CLASSIFICAÇÃO ETAPA:
1.º – Dmitrii Strakhov (Lokosphinx) 3h29m49s
21.º – Francisco Campos (Miranda-Mortágua) a 2m02s
46.º – Jorge Magalhães (Miranda-Mortágua) a 14m26s
OTL – Artur Chaves (Miranda-Mortágua)
OTL – Tiago Leal (Miranda-Mortágua)
OTL – António Barbio (Miranda-Mortágua)
OTL – Nuno Meireles (Miranda-Mortágua)
DNF – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua)

CLASSIFICAÇÃO JUVENTUDE:
1.º – Mark Downey (Team Wiggins) 3h30h25m
4.º – Francisco Campos (Miranda-Mortágua) a 1m26s

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome