A Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) está a trabalhar para que a Volta a Portugal possa realizar-se entre 27 de setembro e 5 de outubro.

Feirense quer aprimorar “caráter televisivo” da Volta a PortugalA nova data já está inscrita no calendário da União Ciclista Internacional e o projeto foi apresentado ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O presidente da FPC, Delmino Pereira, e o diretor da Volta a Portugal, Joaquim Gomes, foram recebidos em audiência pelo chefe de Estado, sensibilizando-o para o valor estratégico e para o interesse nacional da Volta a Portugal.

Tendo em conta as circunstâncias especiais vividas no país e no mundo, a Federação Portuguesa de Ciclismo assumiu a responsabilidade de colocar o evento na estrada por considerar a prova fulcral para a defesa do direito ao trabalho de todos aqueles que têm no ciclismo a sua profissão e modo de vida e por ser esse o sentimento geral da comunidade velocipédica nacional, das Associações Regionais aos ciclistas e equipas profissionais.

Além disso, a Volta a Portugal é também muito importante para a vivência sociocultural dos portugueses e para a dinamização da economia, ao longo dos diferentes territórios locais unidos pela caravana da corrida. Mais ainda num ano como este, em que as dinâmicas internas de turismo e ocupação hoteleira são essenciais para a economia do país. O ciclismo pretende dar o seu contributo.

Volta a PortugalA Volta a Portugal tem em conta a situação pandémica e compromete-se a criar um evento seguro, aplicando as normas acordadas com a Direção-Geral da Saúde para que a festa do ciclismo atravesse diferentes concelhos e freguesias do país sem colocar em risco a saúde das populações locais nem dos diferentes membros da caravana desportiva da competição.