PUB

Num dia em que os juvenis se estrearam em campeonatos nacionais, a equipa da Bairrada voltou a estar em destaque na prova de contrarrelógio, com a vitória a ficar para António Morgado. No Bombarral, estiveram ainda em competição as juniores femininas e os cadetes, também em ambos os setores.

EQUIPA DA BAIRRADA REPETE HAT-TRICK NO CONTRARRELÓGIO DOS NACIONAISArrancaram os Campeonatos Nacionais para as categorias de juvenis, cadetes e juniores, no Bombarral, tendo sido entregues seis títulos de campeão nacional. Os juvenis masculinos e femininos disputaram uma prova de fundo de 21 quilómetros. Já os cadetes e juniores, masculinos e femininos, realizaram as respetivas provas de contrarrelógio individual. Entre estes, os juniores masculinos realizaram um total de 12 quilómetros e os restantes, nove quilómetros.

PUB

Na categoria de juniores, no setor masculino, António Morgado (Bairrada) pulverizou a concorrência, à semelhança daquilo que tinha feito no ano passado. O corredor completou o seu esforço individual em 15m45s, menos 28 segundos do que o segundo classificado e menos 53 segundos do que o terceiro. Repetindo o pódio de 2022, os seus colegas de equipa, Gonçalo Tavares e Rúben Rodrigues terminaram na segunda e terceira posições, respetivamente.

António Morgado, já habituado ao sabor da vitória, revelou que “é muito bom conseguir repetir o título. É sempre um objetivo da época e foi cumprido. Era um contrarrelógio curto e encontro-me numa fase em que me estou a dar melhor nos contrarrelógios mais longos. No entanto, posso dizer que este me correu muito bem”.

Já no setor feminino desta mesma categoria, Mariana Líbano (Velo Performance/JS Campinense) mostrou-se também a outro nível, comparativamente às suas adversárias. A corredora ganhou mais de um minuto à segunda classificada, Íris Chagas (Cantanhede Cycling/VESAM), após completar o seu contrarrelógio em 15m08s. Laura Simão (5Quinas/Município de Albufeira/CDASJ) foi terceira, a 1m27s.

Mariana Líbano mostrou-se muito satisfeita com a conquista deste título nacional, até porque já tinha estado muito perto de o conseguir no ano passado. “Foi um contrarrelógio muito duro, mas gostei muito de o fazer. A dureza do percurso tornou-o ainda mais emocionante e fui sempre a dar tudo de início ao fim. Tive muito boas indicações do meu carro de apoio e gostei muito de fazer esta prova. Já tinha estado na luta por este título no ano passado e infelizmente fiquei a apenas um segundo. Este ano queria mesmo conseguir e estou muito feliz por o ter conquistado”.

A disputa pelo título nacional de contrarrelógio na categoria de cadetes masculinos não poderia ter sido mais equilibrada, com o vencedor e o segundo classificado a ficarem separados por pouco apenas um segundo. A vitória ficaria para Rafael Durães (Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), que bateu o seu colega de equipa, José Moreira. Bernardo Leal (Cantanhede Cycling/2W Engenharia) fechou o pódio na terceira posição, a 32 segundos do novo campeão nacional.

No feminino as diferenças também não foram significativas, com Daniela Simão (Extremosul/Hotel Alísios/Cenmais) a sagrar-se campeã nacional de contrarrelógio, após bater o tempo da sua colega de equipa, Raquel Dias, por apenas três segundos. Beatriz Guerra (Velo Performace/JS Campinense) terminou em terceiro lugar.

Foi dia de estreia para os juvenis, que disputaram o seu primeiro campeonato nacional, traduzido numa prova de fundo. Os setores masculino e feminino partiram em conjunto para os 21 quilómetros da corrida, correspondente a duas voltas a um circuito. À primeira passagem pela meta, o pelotão masculino seguia na frente, com (Guilherme Ribeiro (Academia Ciclismo de Paredes) a tentar escapar. No final, o título nacional de juvenis masculinos ficaria decidido ao sprint, com Rui Sabino (União Ciclismo da Trofa) a levar a melhor sobre Guilherme Ribeiro (Academia Ciclismo de Paredes) e Gonçalo Costa (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais), que terminaram na segunda e terceira posições, respetivamente.

Rui Sabino não poderia estar mais feliz com a vitória nestes campeonatos nacionais. “A sensação de conseguir esta vitória é muito boa. Só posso agradecer à minha família que esteve aqui a apoiar-me. É muito bom conseguir esta vitória e ser recompensado pelo esforço que fiz. É a minha primeira vitória este ano e logo num campeonato nacional. É maravilhoso.”

Já no feminino, era Mariana Resende (Escola de Ciclismo de Oeiras/SPC) que após a primeira volta ao circuito seguia em solitário, com uma vantagem de cerca de 30 segundos para um grupo de cinco corredoras. Mariana Resende conseguiu segurar a liderança da corrida até ao final, vencendo isolada, mas já com as suas adversárias em pano de fundo. Bárbara Santos (Freebike Shop/Bike Clube S.Brás) terminou na segunda posição, a apenas dois segundos, e Carolina Namora (Agência Avenida/D’Helvetia) fechou em terceiro, a 10 segundos.

Após terminar a sua prova, Mariana Resende falou sobre a sua conquista. “Cortar a meta e saber que ganhei o título nacional é uma sensação ótima. É algo que muita gente quer, eu queria muito conseguir esta vitória e trabalhei muito para chegar aqui e ter este momento”.

Amanhã, dia 7 de agosto, vão ser disputadas as provas de fundo para as categorias de cadetes e juniores masculinos. Pelas 09h30 vão partir os cadetes, tendo pela frente um percurso com 78 quilómetros, correspondentes a quatro voltas a um circuito. Às 15h00 serão os juniores a entrarem em competição, num percurso de 117 quilómetros, totalizando seis voltas ao circuito.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui