Entrevista a Marco Fidalgo

798

Marco Fidalgo (10)Marco Fidalgo, dispensa muitas apresentações no panorama do ciclismo nacional. O atleta natural de Leiria iniciou-se nas competições de crosscountry em 1994, mudando-se no ano a seguir para uma vertente mais radical, o Downhill, onde acompanhou o nascimento da modalidade e ajudou a impulsionar a mesma. No ano 2000, “Pinochet”, como é apelidado no meio, consegui-o atingir um patamar que muitas pessoas sonham e onde se encontra nos dias de hoje, atleta profissional. Há seis anos, o atleta da BergCycles, deixou o Downhill e dedicou-se à mais recente modalidade do Ciclismo, o Enduro, e o BTT Lobo teve o prazer de falar com atleta.

Marco Fidalgo (9)Visto que foi um dos impulsionadores do Downhill nacional e foi ali que evolui-o, porque é que se mudou para o Enduro?

Antes de mais quero agradecer ao BTT Lobo a atenção e simpatia para comigo. Depois em relação a esta questão, na verdade pus de parte o Down Hill em 2011 após sentir que estava na hora de partir à descoberta de uma nova injecção de adrenalina. Na altura comecei pelo Campeonato Super Enduro PRO em Itália e obviamente que fiquei fã da modalidade em geral, a partir daí mudei tudo e já não olhei mais para trás. Escusado será dizer que nesta modalidade aprendi novamente a ser criança e a ver a natureza com outros olhos.

Marco Fidalgo (8)Tal como aconteceu no Downhill, o Marco acompanhou também a nascimento do Enduro, como descreve a modalidade em Portugal e como vê a mesma futuramente?

Acompanhei o inicio do Enduro em Portugal e desde então tenho tentado na medida do possível opinar de forma a ajudar a melhorar as organizações. Espero que 2016 seja de fato um ano de viragem e que os erros cometidos no passado tenham servido de lição. Como costumo dizer, já falei, já opinei e portanto resta-me agora esperar para ver o que o futuro nos reserva.

Marco Fidalgo (3)Na apresentação que fez da SRAM, referiu: “Posso inclusive sublinhar este dia como sendo um dos mais felizes da minha carreira e da minha vida..”. Sabemos que esta relação é recente, mas como é que está a ser esta nova experiencia de ser “piloto de fábrica” de uma das marcas mais conceituadas do ciclismo e como é que é pertencer a um grupo restrito de atletas mundiais conceituados?

Eu estou com a SRAM há mais de 10 anos no entanto só me era possível defender a marca  deste grupo a ROCK SHOX. Eu já queria estar com a SRAM em geral há mais de 3 anos atrás contudo em termos contratuais não me era possível pelo que quando consegui finalmente sair senti -me extremamente feliz e super aliviado. A SRAM sempre soube esperar por mim  e nunca me pôs contra a parede por ex. Depois esta afinidade manteve-se em espera porque eles sabem que teem em tudo a ver com a minha forma de estar e de actuar. É uma marca única e que tal como a Berg Cycles darei tudo por eles.

Marco Fidalgo (5)O BTT Lobo sabe que está com a BergCycles, marca nacional, desde 2007. Para além de atleta profissional, desempenha mais alguma função dentro da marca?

Desempenho muitas funções em conjunto com uma familia de pessoas que vivem e partilham da mesma paixão e visão que eu. É isso que nos torna diferentes e que faz com que continuemos a evoluir a cada dia que passa. Portanto todos nós temos imensas funções, estas sempre aliadas aos objetivos que passam naturalmente por ver a marca a crescer e a deixar cada cliente satisfeito. Esse é no final de tudo o nosso maior troféu.

Marco Fidalgo (4)Atualmente com 36 anos, até que idade se vê a competir? Vê a idade como uma impossibilidade?

Eu sinto-me um jovem de 20 anos e portanto não penso nisso. Irei competir e desfrutar da bicicleta até que a motivação me deixe sorrir enquanto ando de bicicleta. Sou super viciado na vida e vivo tudo de uma forma muito calorosa pelo que atualmente não vejo um fim para a minha carreira desportiva. Quando for será mas esse fim só surgirá quando a motivação acabar!

Marco Fidalgo (7)Com um passado vitorioso, quais são os seus objetivos para 2016?

Os meus objetivos principais passam por me divertir e dar o máximo dentro das pistas.  Além disso espero continuar a trabalhar, a inspirar e sobretudo a partilhar com o próximo. Nada me faz mais feliz do que passar um estilo de vida que todos os jovens deviam seguir.

Marco Fidalgo (11)Que concelho podemos/devemos dar a um jovem que se queira iniciar no BTT?

Que se divirta de forma modesta e segura esperando pela sua evolução na modalidade que este escolher dentro do BTT. Nada é mais importante que a humildade e quanto a isso há que respeitar a linha do tempo para que a qualidade pessoal e física vá surgindo aos poucos e sem grandes pressões. Em suma, aconselho que haja uma prioridade à diversão e que este aprenda a conhecer o melhor que este fantástico desporto tem para oferecer a começar pela natureza que é só uma.

Por fim, mais uma vez obrigado ao BTT Lobo e parabéns pelo trabalho que tem vindo a desempenhar para com o desporto. Muita força é o que eu vos desejo – Marco Fidalgo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome