Não é procedimento exclusivo ao BTT, o que de certa forma é uma vantagem, para quem faz para além de BTT, trekking ou trail running por exemplo.

Então como se deve proceder se acontecer 1 acidente no trilho e não teres sinal de telemóvel para ligar ao 112?

Há várias formas, bastante interessantes para adoptar, consoante a carteira e conhecimento prévio:

  • Via localizador de satélite, para envio do sinal de socorro e as coordenadas GPS
  • Via radio pmr446 (vulgo walkie-talkie) para chamar a equipa de apoio que te acompanha.
  • Via sinalização local (apito, espelho, bastões, lanterna…) se estiveres sozinho ou até mesmo com o teu par.
  • Através do sistema ANGI para quem tem capacete da specialized, que permite no caso de queda enviar dados para o telemóvel, e dessa forma contactar os contactos de emergência estipulados previamente na aplicação.

Este é o principal passo a realizar, pois assim que o resgate e socorro vem a caminho, estão definidas as 72 cruciais horas para saíres bem da alhada.

Enquanto se espera, e prevendo que estás equipado de 1 kit de sobrevivência, mãos à obra!

Manter-te calmo, abstrai-te da situação, se com ferimentos, tratar consoante o ferimento recorrendo ao kit de primeiros socorros.

Depois agasalho, porque parado, no meio do nada, facilmente a temperatura corporal desce a pique e entras em estado hipotérmico. Agasalha-te com 1 manta de emergência ou saco de sobrevivência. Uns handwarmers (ou escalfeta) é uma ideia.

Hidrata-te!

Faz sinalização para caso haja alguém nas imediações se aperceber da tua presença e te socorrer.

As formas de sinalização passam pelo apito, para sinalização sonora, e o melhor local para o colocar e o mais perto da boca possível, exemplo, alça da mochila.

Se de noite, bastões sealumem, que são uns sinalizadores luminosos que quando partes o stick, emitem uma luz por até 6 horas.

A lanterna, quase todas, emitem o modo strobe, caso não tenhas esse modo faz o código morse manualmente.

Se de dia, usa um espelho de sinalização para marcar o teu local, bastando apontar para o sol e ajustando através do buraco existente no seu centro.

Em último recurso, se possível, uma fogueira pequena, apenas colocando ramos verdes ou usando uma câmara de ar porque a borracha faz muito fumo que pode ser visível a vários Km.

Aguardar pacientemente pelo resgate, monitorizando o bem-estar geral e observando as condições climatéricas.

“Pois, isto e muito bonito mas o que posso levar no kit de sobrevivência?”

Como acima descrito, já terás umas noções, e basicamente passa por um dispositivo que chame o socorro, como telemóvel, rádio, gps…

Uma forma de abrigo pelo menos, como manta de emergência, casaco.

Forma de navegação caso o gps morra, como a bussola/mapa

Forma de hidratação, e aqui podemos recorrer a pastilhas de purificação de água, caso  tenhas de buscar na natureza, e pastilhas de reposição eletrolítica para dar aquele reforço.

Uma ferramenta multiusos tipo leatherman ou victorinox, os famosos alicates multifunções ou canivetes suíços.

Formas de sinalização, já previamente descritas que são o apito, espelho….

Uma forma de fazer fogo com o isqueiro e uma isca de fogo normalmente um pedaço de algodão que é muito bom de pegar, mesmo em ambiente húmido, para reforçar a ignição, pode estar embebido em algum tipo de combustível, como vaselina, óleo, álcool, ajuda muito quando a fogueira não acende por conta do tempo frio, e molhado.

Corda, muita corda!  Especialmente se praticares All-Mountain que por vezes terás relevos a transpor que requerem a bendita corda. Para além de ser multiusos, serve para escalar, escolhe corda própria para escalada.

Agora um exemplo de um kit:

Água/comida: pastilhas taharmayim para purificação de água da natureza.
Pastilhas reposição eletrolítica ou isotónico.
Abrigo/protecão: manta de emergência, poncho descartavel, handwarmers.
Sinalização/comunicações: sealumen, lanterna, apito, espelho, rádio pmr446.
Navegação/orientação: lanterna de cabeça, bússola e mapa, bloco de apontamentos e lápis/caneta.
Laminas/ferramentas: canivete suíço, serra
Outros: lenços de papel, montes de corda, pilhas extra, powerbank, saco de lixo gigante, sacos zip, abracadeiras plasticas (zip ties), meias, fita isoladora…

Tudo dentro de uma bolsa, na mochila.

Como vêem, é muito fácil até montar um kit bem personalizado, mas seguindo estas “tarefas” necessárias ter, apenas puxando pela criatividade, podem usar uma necessaire, um bidon velho de ferramentas, uma bolsa, caixa dos óculos, latinhas, bolsa de 1 máquina fotográfica,a imaginação e o limite!

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome