David Rosa no top 15 em Albstadt

790

David Rosa no top 15 em AlbstadtA Seleção Nacional/Liberty Seguros começou com chave de ouro o segundo ciclo de qualificação para os Jogos Olímpicos, graças ao 14.º lugar de David Rosa na prova da Taça do Mundo de Cross Country (XCO), disputada em Albstadt, Alemanha.

Uma semana depois de ter estabelecido o melhor resultado de sempre de um português na Taça do Mundo, com o vigésimo posto na República Checa, David Rosa voltou a superar-se e hoje estabeleceu um novo melhor registo luso na alta roda do circuito internacional de XCO.

O corredor natural de Fátima foi 14.º classificado, a 4m05s do vencedor, o francês Julien Absalon. O segundo classificado foi o suíço Nino Schurter, a 11 segundos, e o terceiro foi o checo Jaroslav Kulhavy, a 1m13s. O resultado deste domingo abre a David Rosa boas perspetivas de melhorar o seu atual 12.º posto no Ranking Mundial de XCO.

David Rosa no top 15 em Albstadt xco“Já na corrida de há uma semana me senti bem, mas uma saída de corrente logo na primeira volta hipotecou um resultado melhor. Hoje, sem qualquer percalço, estive mais perto de chegar ao top 10, faltou-me só um bocadinho de energia para o conseguir. Mas alcancei o meu primeiro top 15, o que me deixa muito feliz”, regozija-se David Rosa.

Portugal também esteve representado na prova de elite por Mário Costa, 86.º, e por Ricardo Marinheiro, 88.º, ambos a três voltas do vencedor.

Na corrida de sub-23 masculinos, José Dias alcançou o 31.º lugar, ganha pelo espanhol Pablo Rodríguez. O corredor luso gastou mais 6m50s do que o vencedor. Gonçalo Amado não conseguiu concluir a corrida. Joana Monteiro foi a 44.ª classificada na corrida de sub-23 femininas, a duas voltas da vencedora, a sueca Jenny Rissveds.

“Faço um balanço positivo da nossa participação nesta etapa da Taça do Mundo, embora alguns azares, como a queda do Gonçalo Amado logo no arranque da prova de sub-23, a saída de corrente do Mário Costa na corrida de elite ou a queda da Joana Monteiro na competição de sub-23 femininas, tenham condicionado os resultados finais”, lamenta o selecionador nacional, Pedro Vigário.

Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome