Uma colisão entre um automóvel e um velocípede no Itinerário Complementar (IC) 33, perto de Melides, no concelho de Grândola (Setúbal), provocou hoje um morto e um ferido ligeiro, disseram fontes da Proteção Civil e da GNR.

A fonte da GNR indicou que a vítima mortal é um homem com cerca de 30 anos, que conduzia o velocípede, tendo o óbito sido declarado no local pelo médico da viatura médica de emergência e reanimação (VMER) do Hospital do Litoral Alentejano (HLA).

O ferido ligeiro foi transportado para o HLA, em Santiago do Cacém, segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal, adiantando que o corpo da vítima mortal foi encaminhado para o serviço de Medicina Legal da mesma unidade hospitalar.

O alerta para o acidente, de acordo com o CDOS, foi dado às 15:12, tendo sido mobilizados para o local operacionais e veículos dos Bombeiros Voluntários de Grândola e a VMER do HLA, além da GNR.

Telmo José Falcão, fez à pouco tempo uma grande aventura de bicicleta: Roma-Santiago Compostela-Grândola.

Nunca esquecer da distância mínima obrigatória de 1,5M.

Este é o segundo ciclista a morrer na estrada em Portugal hoje, depois de se ter registado uma colisão entre um veículo ligeiro e uma bicicleta em Alcanena, no distrito de Santarém, ao começo da tarde.

Até quando estas calamidades? Têm de ser tomadas medidas, as estradas estão cada vez mais perigosas, todas as semanas recebemos notícias tristes como estas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Sentimentos ás famílias.
    Reparo que cada vez mais os ciclistas insistem em andar em estradas com algum movimento, mas o que é certo é que independente de tudo elas acontecem. deviam evitar andar em estradas com tanto movimento. O para-choques é o próprio corpo. A velocidade de veículos são diferentes, visões de estrada diferente e elas acontecem. Evitem estradas… existem cada vez mais ciclopistas.

  2. Em minha opinião, o grande responsável é o governo que além de copiar as medidas usadas lá fora pela metade, não criam forma de passar a informação e actualizar os condutores mais distraídos. Sei que compete aos condutores manterem-se actualizados acerca das regras de trânsito, mas uma vez que temos canais de TV públicos, será que não poderiam dedicar 5 min diários depois do bloco noticiário para darem a conhecer as alterações que o Código da Estrada vai sofrendo? E porque copiar as regras pela metade? Copiaram a regra da distância lateral mínima de 1,5m mas não permitem que se pise o traço contínuo para o fazer, ora como o bom do condutor português não é muito paciente, acaba por ultrapassar o ciclista em zona de traço contínuo e para não o pisar (muito, porque normalmente acabam por pisar mas devem entender que se apenas pisarem é menos grave do que transporem) fazem grandes razias aos ciclistas e depois as coisas acabam por acontecer… Mas tb temos condutores que parecem ter alguma coisa contra os ciclistas, parece que não são seres humanos que ali vão…

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome