Ciclismo vai à Escola, é um projeto que visa ensinar os alunos do Primeiro Ciclo de Santo Tirso a andar de bicicleta reduziu de 43% para 14% o número de crianças que não sabem pedalar.

Denominado o Ciclismo vai à Escola, o projeto arrancou no início do atual ano letivo, tendo percorrido, segundo a autarquia, 33 instituições do I Ciclo, chegando a cerca de 900 alunos.

O relatório referente ao primeiro período indica que “cerca de metade dos 43% dos alunos” que no início do projeto não sabiam pedalar já aprendeu a andar de bicicleta.

No total, 253 crianças aprenderam a andar de bicicleta com o a ajuda das ações do “Ciclismo vai à Escola”, situando-se hoje nos 14% os que ainda não o sabem fazer.

Salientando que o projeto “não se limita a ensinar a andar, mas também a conhecer as regras de segurança e de circulação pacífica na via pública”, o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, citado pelo comunicado da autarquia, considerou os “números muito positivos”.

“Antes do projeto, escolas como São Bento da Batalha, Quelha, Aldeia Nova e Cantim apresentavam os valores mais baixos no que diz respeito à percentagem de alunos que sabiam andar de bicicleta e, em todos os casos, ficavam aquém dos 40%”, acrescenta a nota de imprensa.

Fruto das ações desenvolvidas, na Escola Básica da Quelha, que figurava neste grupo, “todos os participantes das atividades sabem agora andar de bicicleta”, um feito “repetido um pouco por todo o concelho nas escolas de Quintão, em Vila das Aves, na EB de Igreja, em Guimarei, na EB de Areal, na EB de Santa Luzia, na EB de Palmeira, na EB da Ribeira e no Centro Escolar da Costa”, acrescenta o documento.

O Ciclismo via à Escola foi implementado no início do atual ano letivo, fruto de uma parceria entre a câmara e a Federação Portuguesa de Ciclismo, realçando a autarquia ser um projeto “pioneiro a nível nacional” e que pretende “ajudar a curar hábitos de circulação no espaço público e diminuir patologias como a obesidade infantil e o sedentarismo”.

As iniciativas vão continuar durante todo o ano letivo, sendo que esta medida insere-se no Plano Municipal de Mobilidade Sustentável.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome