O britânico Chris Froome (Sky) defendeu hoje que o encerramento do procedimento disciplinar contra si por suspeita de doping “é um momento importante para o ciclismo”, assinalando nunca ter tido dúvidas de que seria ilibado.

“Nunca tive dúvidas, pois não fiz nada que não devesse fazer. Sofro de asma desde a infância. Conheço perfeitamente as regras relativas à medicação para a asma e apenas uso o inalador para atenuar os sintomas, dentro dos limites autorizados”, explicou o tetracampeão da Volta a França.

Froome, de 33 anos, reagia, em comunicado da equipa Sky, ao anúncio feito hoje pela União Ciclista Internacional (UCI) – a cinco dias do início da Volta a França de 2018 -, segundo o qual foi encerrado o procedimento disciplinar por suspeita de doping que o envolvia.

Em comunicado, a UCI anunciou a decisão de ilibar o ciclista britânico, depois de uma análise ter acusado uma concentração do broncodilatador salbutamol acima do permitido num controlo antidoping realizado em 07 de setembro de 2017, durante a Volta a Espanha, que Froome viria a vencer.

“Estou muito satisfeito com a decisão da UCI. É um momento importante para o ciclismo. Sempre levei a minha posição de líder muito a sério e procuro fazer as coisas corretamente. Reafirmo que nunca desonrarei o meu estatuto de campeão e que os meus resultados resistirão à prova do tempo”, observou.

Para Froome, o anúncio feito hoje pelo organismo regulador do ciclismo mundial “significa que é possível seguir em frente e concentrar os esforços na participação no Tour”, que o ciclista da Sky venceu em 2013, 2015, 2016 e 2017 e cuja 105.ª edição se começa a disputar no sábado.

O diretor desportivo da Sky, Dave Brailsford, explicou que “sempre acreditou que [Froome] seria ilibado de todas as acusações” e que essa foi a razão pela qual Froome continuou a competir enquanto o processo disciplinar era julgado pela UCI.

Deixar uma resposta