Campeonato Mundial de Orientação em BTT – Portugal

430

Anton Foliforov e Emily Benham “sprintam” para a vitória em Cantanhede

Anton FoliforovAqueles que acompanham estas coisas da Orientação em BTT estarão certamente lembrados da emocionante Final de Distância Longa dos Campeonatos da Europa, disputados em Idanha-a-Nova, no início de Julho de 2015. Nessa prova, a britânica Emily Benham e o Russo Anton Foliforov subiram juntos ao lugar mais alto do pódio. Voltaram a fazê-lo hoje, de novo em Portugal, na primeira etapa dos Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT, que teve lugar em Cantanhede.

Emily Benham e Anton Foliforov foram os brilhantes vencedores da competição de Sprint que abriu os Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT 2016, disputados esta manhã e início de tarde em Cantanhede. A prova, que teve nas temperaturas muita cima dos 30 º um grande protagonista, permitiu definir os Campeões do Mundo de Sprint nas categorias Elite e Junior e ainda os Campeões da Europa de Jovens, tanto masculinos como femininos. Na Elite masculina, Luca Dallavalle partiu na defesa do título alcançado em 2015 na República Checa, mas encontrou pela frente um super-motivado, Anton Foliforov, Russia, atual líder da Taça do Mundo e ansioso por recuperar um título anteriormente alcançado por duas vezes, em 2011 e em 2014. No final, a diferença entre ambos cifrou-se em trinta e dois segundos, um resultado que permitiu a Foliforov saborear o seu sétimo mundial individual, tornando-se no atleta masculino mais “dourado” de sempre nesta disciplina. A terceira posição coube ao Francês Cédric Beill, a 37 segundos do vencedor, naquela que é a primeira medalha do atleta alcançada em Campeonatos do Mundo. A grande surpresa vem da Espanha e dá pelo nome de Angel Garcia, 5º classificado com o tempo de 23:06, o que configura um resultado histórico para a Orientação em BTT espanhola, pela primeira vez com um atleta seu classificado no top10 mundial.

Quanto à Elite feminina, a Britânica Emily Benham e a Finlandesa Marika Hara travaram um duelo intenso do primeiro ao último metro e que terminaria com a vitória de Benham pela escassa margem de dois segundos. Grande figura da Orientação mundial nos últimos dois anos, a Benham faltava uma medalha de ouro em Campeonatos do Mundo para completar um historial brilhante e eis que ela surgiu hoje, na tórrida jornada de Cantanhede, ante uma das melhores do Mundo, Marika Hara, com quatro títulos individuais e quatro de Estafetas conquistados entre 2008 e 2015. O terceiro lugar coube à jovem Finlandesa Henna Saarinen, a subir pela primeira vez ao pódio na seu segundo ano no seio da Elite, depois de ter como melhor resultado o 14º lugar na prova de Sprint do anterior Campeonato do Mundo. De regresso à competição após uma paragem de dois anos, Olga Shipilova Vinogradova, Russia, teve um desempenho excelente, falhando a medalha de bronze por 10 segundos. Campeã do Mundo em 2015 e atual líder do Ranking Mundial, a Checa Martina Tichovska concluiu na 6ª posição, a 1:03 da vencedora.

Davide Machado, o melhor português

Quanto aos 27 atletas portugueses presentes nesta importante competição, importa referir que as suas prestações no dia de hoje não foram particularmente relevantes. No escalão de Elite Masculina, Davide Machado foi o nosso melhor atleta na 33ª posição, a 3:02 do vencedor. Daniel Marques, Luis Barreiro e João Ferreira ocuparam, respetivamente, as 37ª, 38ª e 39ª posições. Ana Filipa Silva ocupou a 32ª posição com mais 3:27 que Emily Benham e foi a nossa melhor representante na Elite feminina, seguida de Susana Pontes, 41ª classificada. Quanto aos Juniores, Afonso Barreiros e Ana Margarida Rocha foram os nossos dois melhores representantes, classificando-se nos 25º e 19º lugares, respetivamente, em masculinos e femininos. Finalmente, nos escalões Jovens, o melhor atleta masculino foi Duarte Lourenço, no 12º lugar, enquanto Sofia Gomes foi a 20ª classificada na competição feminina.

Veronika KubinovaFinalmente, nas competições dedicadas aos escalões etários mais baixos, o Suiço Adrian Jaeggi deu ao nota de sensação ao vencer a classe masculina, oferecendo assim uma medalha de ouro histórica à Suiça, a primeira de sempre na categoria Junior. Quanto à classe feminina, a Checa Veronika Kubinova provou que “não há duas sem três” e, depois dos títulos mundias de Juniores de Sprint alvançados em 2014 (Polónia) e em 2015 (República Checa), foi hoje novamente a mais rápida ante outra das favoritas, a russa Olga Mikhaylova. Finalmente, no Europeu de Jovens, a República Checa e a França comprovaram ser dois riquíssimos viveiros de atletas de qualidade e repartiram entre si o ouro. O Checo Jan Hasek venceu em masculinos enquanto a Francesa Mathilde Sipos foi a vencedora feminina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome