Campeonato do Mundo de Pista | Ivo Oliveira vice-campeão mundial de perseguição

86

A medalha pode ser de prata, mas a página é de ouro na história do ciclismo português: Ivo Oliveira sagrou-se vice-campeão do Mundo de perseguição individual, conquistando, em Apeldoorn, Holanda, a primeira medalha do ciclismo de pista luso em mundiais de elite.

Ivo Oliveira encontrou na final o italiano Filippo Ganna, companheiro de Rui Costa na UAE Team Emirates. O luso começou o contrarrelógio de 4 quilómetros mais rápido do que o adversário, comandando a prova até estarem percorridos 2,75 quilómetros. A partir daí Ganna acelerou e deu a volta à corrida.

Filippo Ganna completou os 4 quilómetros em 4’13’’607, melhorando a marca que trazia do apuramento e confirmando uma velha máxima: quem consegue melhorar da qualificação para a final “arrisca-se” a ganhar. Ivo Oliveira também andou muito bem na corrida de decisão das medalhas, concluindo o esforço em 4’15’’428, a terceira melhor marca portuguesa de sempre.

O registo hoje cronometrado na final só foi ultrapassado pelo próprio Ivo Oliveira na qualificação do Campeonato da Europa de elite, em outubro, com 4’14’’570, e na qualificação da prova de hoje, na qual o gaiense “voo” para cumprir os 4 quilómetros em 4’12’365.

“O Ivo teve uma prestação de excelência, vencendo a qualificação com o melhor tempo pessoal de sempre. O Ivo conseguiu ser regular durante os primeiros três quilómetros da final, faltando apenas a capacidade de acelerar no quilómetro final, que foi quando tudo se decidiu. Destaco que, ano após ano, vamos colocando a fasquia num patamar mais elevado. No futuro haveremos de lutar novamente pelo título mundial”, promete o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

“As primeiras horas são um bocado de desilusão, porque faltou muito pouco para chegar à medalha de ouro. Mas amanhã, quando acordar e assimilar o que consegui, acho que vou ficar muito feliz, porque esta é a medalha mais importante da minha carreira, até ao momento. Nos treinos antes do Campeonato do Mundo, ainda em Sangalhos e já aqui, percebi que iria fazer um bom tempo, talvez na casa dos 4m14s. Nunca imaginei que chegasse aos 4m12s. Tenho de agradecer a toda a comitiva que aqui está comigo, incluindo aos meus companheiros Rui [Oliveira] e [João] Matias. Agradeço também a toda a gente que está em Portugal a apoiar-me e à minha equipa, por permitir que continue a fazer estas competições de pista”, disse Ivo Oliveira, depois da cerimónia do pódio.

Esta foi a décima medalha de Ivo Oliveira em campeonatos do Mundo e da Europa. O pecúlio começou em 2013, na categoria de juniores e já foi enriquecido com pódios em sub-23 e em elite, em quatro disciplinas diferentes, perseguição individual, omnium, corrida por pontos e madison.

Medalhas de Ivo Oliveira em Mundiais e Europeus

2013
Campeonato do Mundo de Juniores: Bronze na corrida por pontos

2014
Campeonato do Mundo de Juniores: Ouro em perseguição individual
Campeonato da Europa de Juniores: Ouro em perseguição individual
Campeonato do Mundo de Juniores: Bronze em madison (em equipa com Rui Oliveira)
Campeonato da Europa de Juniores: Bronze em omnium

2016
Campeonato da Europa de Sub-23: Prata em perseguição individual
Campeonato da Europa de Sub-23: Bronze em omnium

2017
Campeonato da Europa de Elite: Prata em perseguição individual
Campeonato da Europa de Sub-23: Prata em perseguição individual

2018
Campeonato do Mundo de Elite: Prata em perseguição individual

João Matias 14.º na corrida por pontos

Portugal também esteve hoje representado na corrida por pontos, através de João Matias. O corredor minhoto começou bem, somando 6 pontos em dois dos primeiros sprints, mas não voltou a pontuar, numa prova de enorme intensidade e velocidade – média de 52,552 km/h – na qual onze corredores conseguiram dobrar o pelotão.

João Matias foi o 14.º classificado, com 6 pontos, melhorando o 19.º lugar de 2017. A medalha de ouro viaja para a Austrália, na bagagem de Cameron Meyer, que terminou a prova com 70 pontos. O segundo classificado foi o holandês Jan Willem van Schip, com 52 pontos, e o terceiro foi o britânico Mark Stewart, com 49.

Ivo Oliveira compete em omnium

A participação da Equipa Portugal no Campeonato do Mundo termina neste sábado, com a presença de Ivo Oliveira nas quatro corridas do concurso de omnium. O ciclista entra em pista às 13h40, para a prova de scratch, seguindo-se tempo race, eliminação e corrida por pontos, esta cerca das 20h00.

Previa-se a participação de Rui Oliveira. No entanto, o corredor sofreu de sintomas gripais ao longo de toda esta semana, motivo pelo qual o desempenho na prova de scratch, na qual conseguiu um excelente quinto lugar, não foi o esperado. A comitiva nacional resolveu manter o estado de saúde de Rui Oliveira sob reserva até ao momento da inscrição no concurso de omnium, pois, caso a opção fosse pela participação de Rui Oliveira, era importante não tornar público, junto dos adversários, a fragilidade do ciclista luso, cujo esforço para obter o quinto lugar em scratch é digno de registo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome