BTT precisa de ter legislação

391

A morte de um ciclista há cerca de duas semanas, em Câmara de Lobos, veio trazer a lume a questão da segurança das bicicletas e o quanto esta modalidade precisa de ser analisada à luz da Lei. Sérgio Baptista, funcionário na BikeZone, mas também praticante de “downhill” e “crosscountry”, diz que há muitas pessoas que andam de bicicleta e descuram o uso de capacete e joelheiras e defende a necessidade de haver uma legislação que obrigue, quer os ciclistas a usarem estes adereços — que em caso de acidente poderão salvar-lhe a vida —, quer os automobilistas que muitas vezes não respeitam quem anda na estrada de bicicleta. 

Referindo-se, mais precisamente, à Estrada Monumental, no Funchal, Sérgio Baptista diz que «normalmente uma pessoa que está a iniciar-se no ciclismo nunca pode fazê-lo naquela zona porque os automobilistas não respeitam os ciclistas. «Falta educação rodoviária», defende o desportista, salientando que, «conheço pessoas que sofreram acidentes por causa deste tipo de situação e depois têm medo de voltar para a estrada».

É por isso que, na sua opinião, como deveria haver mais sensibilidade por parte dos automobilistas, deveria haver também legislação que obrigasse os ciclistas a andarem seguros na estrada. «Por exemplo, na Suíça as pessoas pagam um selo de circulação que lhes assegura em caso de acidente. Aqui, não se pensa muito nisso, infelizmente», lamentou Sérgio Baptista. 

Aliás, um aspecto focado pelo profissional é que costuma ser recorrente receber clientes na loja que querem comprar uma bicicleta de iniciação mas que não se preocupam em comprar o capacete e as joelheiras. «Como o cliente não mostra interesse nós temos o cuidado de alertá-lo para o uso, pelo menos, do capacete e das luzes de sinalização caso vá andar de noite na estrada».

«É fundamental que as pessoas, antes de se iniciarem no ciclismo, pensem na sua segurança», alerta João Baptista salientando que é também muito importante a escolha da bicicleta certa (consoante a altura da pessoa e o destino para que é precisa ) bem como a sua manutenção. No mínimo de seis em seis meses qualquer bicicleta deve ser revista por um profissional.


Benefícios de andar de bicicleta


Para além de ser um desporto saudável, andar de bicicleta «fortalece o corpo e a alma», como diz o relatório de um estudo feito em 2011 pela Universidade Alemã do Desporto.

«As pessoas que andam de bicicleta regularmente poupam muitas visitas ao médico», defende o documento.

«Muitas pessoas com problemas como dores de costas, excesso de peso ou doenças cardiovasculares, podiam desfrutar de muitos anos de boa saúde se usassem a bicicleta mais vezes», acrescenta a investigação.

Além disso, as pessoas que andam de bicicleta regularmente são mais resistentes a patologias do foro emocional, como as depressões, têm uma redução significativa do mau colesterol e o risco de enfarte em cerca de 50%.

O ciclismo estimula ainda os pequenos músculos das vértebras dorsais, fazendo com que se extendam e comprimam constantemente.

Com a bicicleta os joelhos ficam protegidos, já que mais de 70% do corpo gravita sobre o selim. Para além disso, as coxas e os glúteos endurecem. 

Também o exercício físico estimula o sistema imunitário e aumenta o número de glóbulos brancos, ajudando o organismo a defender-se de vírus e bactérias.

Outra das vantagens de andar de bicicleta está também no facto de poder poupar dinheiro nas suas deslocações. À semelhança do que já acontece em muitas cidades europeias, utilizar a bicicleta para ir para o trabalho poderá permite uma poupança significativa, já que é o meio de transporte mais económico, sobretudo em comparação com o automóvel. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome