Aventura pela Rota Vicentina em BTT

990

Portugal tem imenso potencial e a Costa Vicentina não é exceção. Decerto que já ouviste falar na famosa Rota Vicentina, mas caso nunca tenhas avançado com os planos de a percorreres em BTT, aqui ficam umas dicas segundo dois ciclistas que a experienciaram à sua maneira.

1º Dia: Santiago do Cacém-Porto Covo-Vila Nova de Milfontes, Almograve. Distância Percorrida: 126,3km.

Para quem inicia em Setúbal, apanhar o Ferryboat em direção a Tróia. Inicialmente pedala-se em alcatrão até ao Museu do Arroz, entrando-se pelos arrozais até ao Carvalhal. Prosseguindo até Melides, por alcatrão, até entrar na serra que leva até Santiago do Cacém, onde de facto se inicia a Rota Vicentina. Há duas versões a percorrer, a histórica pelo interior e a do trilho dos pescadores que permite pedalar mais junto à costa.

Track do Strava https://www.strava.com/activities/1364886224

2º Dia: Almograve-Cavaleiro-Zambujeira do Mar, Brejão, Odeceixe, Rogil, Aljezur, Arrifana. Distância percorrida: 76,2km.

Prosseguindo caminho, deparamo-nos com a beleza desta zona, sendo de destacar o delineamento dos percursos na zona das falésias e com areia compacta que permite rolar sem problemas até chegar à Zambujeira. Continuando na aventura, antes da ponte de Odeceixe, fez-se um pequeno desvio para quem quer ir ao Pão Alentejano comprar pão com chouriço ou torresmos e broas de milho. Prosseguindo caminho até avistar o Castelo de Aljezur. Enfim chega-se ao Hi Arrifana Destination Hostel, em Aljezur, que provavelmente é um dos spots mais cool para ficar alojado na zona e ver o pôr-do-sol.

Track do Strava https://www.strava.com/activities/1366521677

3º Dia: Arrifana, Carrapateira, Cabo de S. Vicente, Sagres. Distância percorrida: 66,9km

O ponto alto deste percurso foi ver o mar a partir da Carrapateira, com lindas falésias e diversos miradouros. Passagem pela Praia do Amado, Praia da Barriga, Praia da Cordoama, esta última proporcionando single-tracks desafiantes e deslumbrantes. A subida em estrada tornou-se longa, mas depois entrando na “reta” final até ao Cabo de São Vicente é quase sempre a rolar a bom ritmo. Após a visita de praxe ao farol é dar meia volta e pedalar em direção ao destino planeado: Sagres

Track do Strava https://www.strava.com/activities/1368176062

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome