Avancini foi o mais rápido da etapa em que as duplas podem competir separadas, com uma prova difícil feita por Manuel Fumic, Tiago Ferreira e Hans Becking aumentaram a diferença para seus principais adversários em mais de oito minutos.

© Fabio Piva / Brasil Ride

A esperada etapa do XCO, a penúltima do Brasil Ride 2019, teve a sua primeira partida realizada às 10h da manhã de sexta-feira (25). Disputada num circuito de 8 km em Arraial d’Ajuda, os fãs do BTT tiveram a oportunidade de acompanhar de perto os melhores ciclistas do mundo a completarem quatro voltas para a definição do vencedores do dia.

Na elite masculina, Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing XC) foi o mais rápido, ao concluir em 1h24min08. Completaram o pódio o dinamarquês Sebastin Fini (CST Sannd American Eagle MTB Racing Team) e o holandês Hans Becking (DMT Racing Team) em 1h24min37 e 1h25min28, respectivamente.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Com os resultados das médias de cada uma das duplas, Tiago Ferreira e Hans Becking aumentaram sua folga na liderança, com 1h26min07, na segunda posição por equipes, e agora tem uma vantagem de 8min04 para a parceria germano-brasileira.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Os vencedores da etapa na classificação por equipes foram Sebastian Fini e o alemão Julian Schelb, em 1h25min17. Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic finalizaram o dia em 1h26min24, em quarto lugar por equipes.

© Josue Fernandez / Brasil Ride

“Sinceramente deixei a disputa da geral de lado. Corri pela etapa. Durante a prova nem fiz questão de colocar um ritmo tão consistente porque nunca venci o cross country (na versão da prova em Porto Seguro) e eu queria muito ganhar, pelo carinho e apoio do público que recebo aqui, algo surreal. Quis dar um espetáculo para eles e ganhar essa etapa. Questão de honra mesmo, competir em casa na frente da minha gente. Chegamos a liderar na geral em determinado momento, depois atacamos o Tiago e o Hans diariamente e desta vez não foi diferente. Além de andar rápido queria cruzar a linha de meta em primeiro.”, disse Avancini.

© Josue Fernandez / Brasil Ride

Segundo e terceiro colocados no cross country, Sebastian Fini e Hans Becking avaliaram a etapa. “Fiz tudo que podia e terminei em segundo. O Avancini foi bem forte na última volta, embora eu também estivesse bem. Feliz por mais um pódio no cross country e pela vitória da dupla na etapa, uma vez que o Julian também foi bem rápido”, destacou Fini. “Foi um dia bom, mas o início foi difícil. Não pude reconhecer o percurso e não lembrava bem como era o traçado. Estamos motivados, o Tiago fez um ótimo trabalho e agora não podemos perder mais que oito minutos. Eles vão colocar pressão em nós, como deve ser, e nós vamos defender-nos”, afirmou Hans.

© Josue Fernandez / Brasil Ride

Além de revelar a estratégia do dia, o Tiago Ferreira também contou como a prova se desenvolveu nesta sexta-feira. “Foi uma etapa boa para nós. Não só não perdemos tempo, como ganhamos alguns segundos. Hans e eu combinamos que ele iria procurar vencer ou estar no pódio e eu manter um ritmo constante, sem ter nenhuma queda para não prejudicar a equipa. A nossa estratégia funcionou bem, principalmente porque o Fumic teve uma queda e com isso perdeu o grupo da frente. Além de trabalhar bem como dupla, contamos com o azar deles, Henrique e Manuel”, comentou Tiago Ferreira.

Ferreira também prevê uma última corrida que não será fácil. “A sétima etapa será perigosa, porque com certeza a dupla adversária vai correr como nós em 2018, atacando do início ao fim. A diferença é que o gap era de dois minutos e agora é de mais de oito. Serão menos de 50 km e não queremos a vitória da etapa, mas sim da geral. Vamos fazer o nosso dia da forma mais tranquila para desfrutar, não ter problemas com as bicicletas, não ter quedas e tentar encerrar a edição 10 com a camisola amarela”, finalizou Tiago Ferreira.

© Josue Fernandez / Brasil Ride

Na disputa da Elite feminina, Viviane Favery e Tânia Clair Piclker (Cannondale Brasil Racing / Soul Cycles) colocaram uma mão na “taça” da Brasil Ride em sua categoria. Vivi, como é conhecida, foi o destaque da prova entre as mulheres e terminou em primeiro, em 1h26min23, ao concluir três voltas. O top 3 individual teve ainda Danilas Ferreira (Tropix Brasil) e Letícia Cândido (Corinthians Audax), com os tempos de 1h27min58 e 1h28min59, respectivamente. Vivi e Letícia tem agora 24 minutos de vantagem para Jaqueline Mourão (Sense Factory Racing) e Danilas, vice-líderes e donas da camisa da Americas Women.

“Estava nervosa, porque defender a camisola laranja é uma responsabilidade grande. Nós estudamos como equipe, mas hoje como era individual qualquer atleta poderia surpreender. Partimos às cegas, sem saber como estavam as demais mulheres. Queríamos defender-nos e só colocar um ritmo mais forte se nos sentíssemos bem. Consegui abrir aos poucos e manter uma velocidade boa, para vencer”, disse Vivi. “Foi minha primeira vitória em uma prova desse estilo, o que me deixa feliz e emocionada. Fechar o penúltimo dia do Brasil Ride, na frente de tanta gente torcendo e atletas de alto nível, na maior prova das Américas, foi muito especial. Nunca vou esquecer desse dia”, concluiu a vencedora do cross country.

© Juliano Augusto / Brasil Ride

Domínio português em três categorias – País com mais representantes na ultramaratona depois do Brasil, Portugal tem 20 ciclistas participantes da décima edição. Além da quantidade significativa, os portugueses estão entre os líderes em três categorias: elite masculina, dupla mista e master. Enquanto Tiago Ferreira, em parceria com Hans Becking, tem a camisola amarela nas suas mãos, nas outras duas disputas a liderança é 100% portuguesa.

© Wladimir Togumi / Brasil Ride

Na dupla mista, Celina Carpinteiro e José Dias estão em primeiro lugar, com boas chances de garantirem o título, após terem sido os mais rápidos da categoria na primeira largada. “Esta é minha sexta participação na Brasil Ride. Nunca é fácil, porque o melhor que dou nunca é suficiente para o José, porque ele é realmente forte. Formamos um boa equipa, com compreensão da parte dele, sempre com cabeça fria e ajudando-me em todos os momentos. Quando preciso de me alimentar ou de me hidratar”, disse Celina, que tem no currículo o título da elite feminina em 2010, ao lado de Ivonne Kraft, e outros dois vice-campeonatos na competição.

© Sportgraf

Em master, Tiago Clamonte e Tiago Silva estão em primeiro lugar, concorrendo com uma dupla de respeito: o cinco vezes campeão da Brasil Ride e campeão olímpico de Atlanta-96, Bart Brentjens, e o octacampeão da ultramaratona, Abraão Azevedo. “O Tiago e eu somos conhecidos em Portugal por sermos fortes em etapas de endurance, temos títulos importantes neste estilo de corrida. Estamos em perfeita sintonia. Enquanto ele é engenheiro, sou enfermeiro e treinamos em horários distintos, temos família e filhos. O Brasil Ride é fenomenal, podendo pedalar contra os nossos ídolos. É um orgulho para nós estarmos aqui”, disse Tiago Clamonte.

© Sportgraf

“Está a ser dura esta prova. Já fiz outras stage races pelo mundo fora e a principal característica aqui é o clima, ou está calor ou chove. Tudo muda no mesmo dia, esquenta e depois enfrentamos lama. Estamos bem e fortes como dupla. Vimos que o Bart e o Abraão muitas vezes não estão juntos e nós dois sempre estamos juntos. Essa é a diferença para estarmos na frente. Estou a adorar e vamos tentar garantir este título”, comentou Tiago Silva, que assim como seu parceiro compete pela primeira vez no Brasil Ride.

Na categoria Mista, José Silva / Celina Carpinteiro fizeram o 2º lugar com o tempo de 2:13:03, continuam líderes.

Na categoria Master, Tiago Clamote / Tiago Silva fizeram o 2º lugar, com o tempo de 1:39:28, continuam líderes. Marco Macedo / Tiago Almeida fizeram o 4º lugar com o tempo de 1:48:38.

José Dias / Andreas Miltiadis abandonaram, Tiago Aragão / Rui Porto Nunes terminaram a etapa no 21º lugar em elites.

Vídeo com os melhores momentos da 6ª etapa:

Resultados Etapa 6 – Cross Country em Arraial d’Ajuda – 32 km

Masculino Individual
1- Henrique Avancini (BRA) – 1h24min08
2– Sebastian Fini (DIN) – 1h24min37
3- Hans Becking (HOL) – 1h25min28

Média das duplas
1– Sebastian Fini (DIN) / Julian Schelb (ALE) – 5h11min06
2- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 1h26min07
3- Sherman Trezza (BRA) / Guilherme Muller (BRA) – 1h26min15
4- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 1h26min24
5- Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 1h26min46

Geral após 6 etapas

1- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 19h54min55
2- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 20h02min59
3- Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 20h12min17
4- Kristian Hynek (CZE) / Martin Stosek (CZE) – 20h32min39
5- Sebastian Fini (DIN) / Julian Schelb (ALE) – 20h40min30

Feminino Individual
1- Viviane Favery (BRA) – 1h26min23
2- Danilas Ferria da Silva – 1h27min58
3- Letícia Candido – 1h28min59

Média das duplas
1- Viviane Favery (BRA) /Tania Clair (BRA) – 1h28min39
2- Letícia Candido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 1h29min59
3- Jaqueline Mourão (BRA) / Danilas Ferriera (BRA) – 1h33min35
4- Ivonne Kraft (ALE) / Ana Clara Souza (BRA) – 1h41min39
5- Katherine Lindo (VEN) / Florangela Rodriguez (VEN) – 1h42min42

Geral após 6 etapas

1- Viviane Favery (BRA) /Tania Clair (BRA) – 26h16min27
2- Jaqueline Mourão (BRA) / Danilas Ferriera (BRA) – 26h40min28
3- Letícia Candido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 27h43min18
4- Janildes Fernandes (BRA) / Julyana Machado (BRA) – 30h56min24
5- Ivonne Kraft (ALE) / Ana Clara Souza (BRA) – 31h54min24

© Fabio Piva / Brasil Ride

Sétima etapa, a etapa decisiva do Brasil Ride tem 46 km. Os primeiros 9 km são de estrada de terra bem fluídos. Do km 9 ao 13 muito single track e poucos trilhos de ultrapassagem. Do km 13 ao 19 um local mais plano e largo.

No quilómetro 19, outro single track no Parque Nacional do Pau Brasil. Muitas árvores e tocos a serem vencidos, exigindo muita pilotagem dos atletas. Faz com que os atletas tenham que ter tranquilidade para fazer as curvas bem fechadas.

Do km 19 para frente mistura estradas e trilhas arborizadas. Uma etapa curta, porque a intenção é encerrar de uma forma mais leve, já que da segunda a quinta etapa sempre foram longas distâncias. Em paralelo, será realizada a Maratona dos Descobrimentos, que terá percurso de 72 km.

Toda a informação sobre a 10ª edição do Brasil Ride em www.brasilride.com.br.

Deixar uma resposta