A dupla da Cannondale Factory Racing XC ganhou a 3ª etapa do Brasil Ride 2019 e tentou diminuir a vantagem para a DMT Racing Team, mas Tiago Ferreira e Hans Becking fizeram uma boa marcação aos adversários. Na elite feminina, Ilda Pereira e Karen Olímpio fizeram 3º lugar na etapa.

© Fabio Piva / Brasil Ride

As fortes chuvas na noite desta terça-feira (22) na região de Guaratinga, no extremo Sul da Bahia, proporcionaram alguns quilómetros a mais à terceira etapa do Brasil Ride.

A disputa era prevista ter 67 km, mas foi alargada e assim contou com 75 km para que os vencedores da terceira etapa da décima edição do Brasil Ride fossem conhecidos.

Tiago Ferreira Hans Becking Brasil Ride 2019
© Fabio Piva / Brasil Ride

Entre os homens, a vitória foi de Henrique Avancini e Manuel Fumic, da Cannondale Factory Racing XC, que abriram uma certa vantagem nos quilómetros finais, mas foram alcançados pelos líderes Tiago Ferreira e Hans Becking, da DTM Racing Team. Lukas Kaufmann e Konny Looser, da FKS Factory Racing, completaram o top 3.

Tiago Ferreira Hans Becking Brasil Ride 2019
© Fabio Piva / Brasil Ride

Avancini e Fumic concluíram o percurso em 2h48min40, apenas um segundo à frente dos atuais donos da camisa amarela. “Desde o inicio o Avancini e o Fumic forçaram bastante o ritmo, mas o Hans e o eu tínhamos uma estratégia bem definida de segui-los e não forçar. Durante toda etapa nunca passamos dos nossos limites e perdemos tempo no segundo single track, que para mim é um tipo de terreno que eles são melhores do que eu. Prefiro não correr riscos nessas partes, porque quando exige físico consigo fechar os espaços deles”, comentou Tiago Ferreira.

© Josue Fernandez / Brasil Ride

“Em nenhum momento ficámos stressados, não tivemos problemas e na segunda volta, eles chegaram a abrir 20 segundos, mas controlamos a diferença e conseguimos diminuir quando achámos oportuno, ao forçar o ritmo na subida final, porque talvez o Fumic não esteja tão bem quanto o Avancini nessas subidas mais intensas. Respeitamos bem o ritmo um do outro e colámo-nos a eles nos três quilómetros finais, sem gastar muita energia. No ano passado foi diferente, porque perdemos tempo e forçamos muito. Desta vez, mantivemos a vantagem e não gastámos tanta energia”, complementou Tiago Ferreira.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Na Elite feminina, Letícia Cândido e Hercília Najara, Audax Corinthians / Tripp Aventura, garantiram a segunda vitória na edição de 2019, após um dia difícil na segunda etapa. Elas diminuíram mais de um minuto e meio para as líderes, que agora são Viviane Favery e Tânia Clair Piclker, da Cannondale Brasil Racing / Soul Cycles. Vivi e Tânia terminaram em segundo lugar, cerca de dois minutos à frente de Jaqueline Mourão e Danilas Ferreira, dupla Sense / Tropix, Karen Olímpio  / Ilda Pereira terminaram a etapa no 3º lugar e continuam em 4º lugar da geral.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Na categoria Mista, José Silva / Celina Carpinteiro venceram a etapa com o tempo de 03:44:17.037, continuam líderes.

Na categoria Master Tiago Clamote / Tiago Silva ficaram em 2ª lugar, com o tempo de 03:12:46.292 continuam líderes, Marco Macedo / Tiago Almeida fizeram o 6º lugar com o tempo de 03:56:27.885.

José Dias / Andreas Miltiadis terminaram no 8º lugar, Tiago Aragão / Rui Porto Nunes terminaram a etapa no 27º lugar em elites.

Vídeo com os melhores momentos da 3ª etapa:

Resultados – Etapa 3 – Guaratinga – 75 km

Masculino
1- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 2h48min40
2- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 2h48min41
3- Lukas Kaufmann (BRA) / Konny Looser (SUI) – 2h52min24
4- Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 2h52min25
5- Sherman Trezza (BRA) / Guilherme Muller (BRA) – 2h52min26

Feminino
1- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 3h47min23
2- Viviane Favery (BRA) / Tania Clair Pickler (BRA) – 3h49min00
3- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (POR) – 3h49min49
4- Jaqueline Moura (BRA) / Danilas Ferreira da Silva (BRA) – 3h50min56

Geral – após 3 etapas

Masculino
1- Tiago Ferreira (POR) e Hans Becking (HOL) – 8h44min22
2- Henrique Avancini (BRA) e Manuel Fumic (ALE) – 8h48min55
3- Kristian Hynek (CZE) e Martin Stosek (CZE) – 8h57min32
4- Jaroslav Kulhavy (CZE) e Matous Ulman (CZE) – 9h01min01
5- Lukas Kaufmann (BRA) e Konny Looser (SUI) – 9h03min00

Feminino
1- Viviane Favery (BRA) e Tania Clair Piclker (BRA) – 11h44min01
2- Jaqueline Mourão (BRA) e Danilas Ferreira (BRA) – 11h45min06
3- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 11h54min54
4- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (POR) – 11h56min38

© Fabio Piva / Brasil Ride

Quarta etapa – A etapa Rainha é a mais dura do Brasil Ride, porque tem maior altimetria. São 100 km com 2.600 m acumulados, com três serras bastante íngremes.

Uma delas é a Pedra da Batalha, que realmente assusta pelo tamanho. Mais perto do final tem a Subida das 7 Voltas, onde vai ter a primeira das etapas do Desafio RedBull Zera o Pico, com os atletas que subirem mais rápido sem colocar o pé no chão. Grau de dificuldade altíssimo. Menos de 4% dos atletas conseguem superar.

© Fabio Piva / Brasil Ride

A etapa mistura áreas de terra e trilhos e foi uma das mais elogiadas na temporada passada. Tem com single tracks bem limpos, passando por fazendas de cacau.

Toda a informação sobre a 10ª edição do Brasil Ride em www.brasilride.com.br.

Deixar uma resposta