A apresentação oficial da equipa BORA – hansgrohe decorreu em Kolbermoor na Auto-Eder, que celebra o seu 20º aniversário como patrocinador da equipa de Ralph Denk, apresentou também a Ötztal, como novo parceiro.

Depois de mais uma temporada de sucesso na história desta jovem equipa, a BORA – hansgrohe estabeleceu metas ambiciosas para 2020. Com cinco novas contratações e um total de 27 ciclistas de nove países, a equipa está confiante para a próxima temporada. Depois das clássicas, o Giro d’Italia está no programa de Peter Sagan pela primeira vez.

Maximilian Schachmann também participará na corrida italiana, sendo o foco da época os Jogos Olímpicos, enquanto o destaque da temporada de Emanuel Buchmann será novamente o Tour de France. Enquanto isso, Pascal Ackermann, que participará no Giro e na Vuelta, será a primeira vez que terá dois Grand Tours no seu programa.

“Tivemos a temporada de maior sucesso na nossa história e terminamos o ano no segundo lugar no ranking mundial. Conseguimos melhorar significativamente, principalmente nas grandes corridas por etapas e estou realmente satisfeito com isso. Estamos muito satisfeitos por termos alcançado as posições seis, quatro e seis, no Giro, Tour e Vuelta, respetivamente. No entanto, tendo conseguido isso, não vamos descansar sobre o que conquistamos e temos já os olhos postos em 2020. Temos grandes planos para o próximo ano. Os nossos objetivos são, obter um resultado no pódio num Grand Tour, ganhar um monumento como fizemos em 2018 e, é claro, também pretendemos tornar-nos a equipa de ciclismo número um do mundo, no futuro. Para conseguir isso, precisamos da equipa certa, das pessoas certas e, claro, dos patrocinadores. Tenho a sorte de poder trabalhar com parceiros incrivelmente apaixonados, que estão 100% comprometidos com o caminho que queremos percorrer. Estou, portanto, particularmente satisfeito por poder anunciar hoje a renovação do contrato da hansgrohe e também muito feliz com o nosso novo parceiro Ötztal, a quem de todo o coração acolho na nossa família.”- Ralph Denk, Diretor Geral da equipa.

“Estamos satisfeitos por podermos iniciar o nosso tour com este grupo muito forte da BORA – hansgrohe. Tendo um parceiro como esta equipa, uma das equipas com mais adeptos n​o WorldTour, estamos com espectativas de ter uma maior exposição dos media na Alemanha, o país de origem da maioria dos nossos convidados e mesmo até noutros países. A Ötztal tem uma forte afinidade com o ciclismo e oferece uma ampla e diversificada variedade de atrações para os ciclistas. Em várias ocasiões, fomos a cidade onde estava a chegada do Deutschland Tour e do Tour de Suisse. Desde 1982 que se realiza a Ötztal Bike Marathon, um evento que estabeleceu novos padrões, neste tipo de organizações. Com esta experiência, não apenas no desporto de elite, mas também no desporto de lazer, foi lógica a parceria com a BORA – hansgrohe. ”- Oliver Schwarz, CEO da Ötztal Tourism

“Estou realmente ansioso por participar no Giro, pela primeira vez. Como nos anos anteriores no Tour de France, a minha campanha no Giro também será focada em vitórias em etapas. Meu programa de corridas mudou um pouco, por exemplo, não vou correr na Austrália. Além do Giro, meus objetivos permanecerão os mesmos de todos os anos: As clássicas da primavera e o Tour de France. ”- Peter Sagan

“Mais uma vez, todo o meu foco será direcionado para o Tour de France. Tudo o resto é secundário. O meu programa de corrida será semelhante ao deste ano. Funcionou muito bem. Tenho certeza de que posso contar com uma equipa forte em Julho. O percurso do Tour está muito à minha medida. Existem muitas etapas de montanha, não há contrarrelógio por equipas e o contrarrelógio individual também é mais ao jeito dos trepadores. O objetivo será alcançar o pódio e, se eu puder dar um pequeno passo em frente será um objetivo muito realizável. ”- Emanuel Buchmann

“Estou muito satisfeito com a minha temporada. Tive alguns anos difíceis e muitas vezes tive um pouco de azar nos momentos decisivos. Este ano foi diferente e pude mostrar que posso competir com os melhores. Eu poderia ter conseguido um resultado melhor na Vuelta e, por isso, farei o máximo possível, na minha preparação para potencialmente estar na luta por um lugar no pódio num Grand Tour em 2020. Seria um sonho se eu pudesse alcançar esse feito no Giro porque realmente amo essa corrida em particular. Os fãs são incríveis e a atmosfera em Itália é sensacional. ”- Rafal Majka

“Para mim, Tóquio 2020 é definitivamente o objetivo final. O percurso deve-me agradar e estou muito grato à BORA-hansgrohe por me dar um certo grau de liberdade no meu cronograma de corridas. No próximo ano, depois das corridas das Ardennes, que devem ser os meus primeiros objetivos da temporada, participarei no Giro. Depois disso, vou me preparar especificamente para as Olimpíadas. ”- Maximilian Schachmann

“É claro que gostaria de mostrar brevemente a minha força nos sprints do Tour de France e competir pelas vitórias nas etapas. Mas o percurso não permite muitas chegadas ao sprint. Além disso, Emu precisa de uma equipa forte nas montanhas. Portanto, faz mais sentido para mim participar no Giro. Juntamente com Peter, estamos bem posicionados nos sprints e certamente formaremos uma equipa extremamente forte. Eu também participarei na Vuelta. Pude verificar o efeito positivo que o meu primeiro Grand Tour teve no meu nível de desempenho e é por isso que decidimos que em 2020 participarei em dois Grand Tours. ”- Pascal Ackermann

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome