PUB

António Morgado, quarto, e Gonçalo Tavares, décimo, estiveram em evidência no Tour du Pays de Vaud, prova da Taça das Nações de Juniores que terminou com uma etapa de 104,7 quilómetros, com início e final em Aigle, Suíça.

A derradeira etapa, com cinco contagens de montanha, maioritariamente subidas curtas e inclinadas, assistiu a uma exibição de força do suíço Jan Christen. O corredor júnior mas já contratado pela UAE Team Emirates até 2027 isolou-se e venceu em solitário ao cabo de 2h17m30s de corrida. O grupo dos principais candidatos, no qual estavam incluídos António Morgado, 18.º, e Gonçalo Tavares, 20.º, gastou mais 48 segundos.

PUB

A vantagem conquistada foi suficiente para Jan Christen dar a volta à classificação, subindo ao primeiro lugar da geral, embora com o mesmo tempo do anterior camisola amarela, o norueguês Johannes Kulset. O terceiro foi o neerlandês Menno Huising, a 21 segundos. Com a subida do helvético ao primeiro lugar, António Morgado baixou para a quarta posição final, a 23 segundos do vencedor.

Gonçalo Tavares também fez uma prova sempre na frente da corrida, concluindo a competição da Taça das Nações no décimo lugar, a 1m25s. Dedicados ao trabalho de equipa, os restantes portugueses classificaram-se pela seguinte ordem: Daniel Lima, 33.º, a 6m08s, Rafael Barbas, 41.º, a 9m16s, e Rúben Rodrigues, 50.º, a 13m02s. Tiago Santos, vítima de queda nos dois setores da etapa de ontem, acabou por desistir.

“Estas corridas também servem de aprendizagem. Um corredor como o suíço que ganhou não pode ter liberdade para sair do pelotão. Foi um erro nosso, mas também das outras seleções que estavam a discutir o pódio. Ou se anula de imediato a fuga ou se vai com esse corredor. Mais tarde a equipa ainda perseguiu, contribuindo para diminuir a desvantagem. Mas já não foi possível anular o estrago. Foi pena, porque o António Morgado está ao nível dos melhores que aqui estão e poderia vencer a corrida ou, pelo menos, terminar no pódio. Ficou a lição, que será útil para o futuro”, afirma o selecionador nacional, José Poeira.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui