Os corredores portugueses voltaram a sentir dificuldades face ao percurso dos contrarrelógios do Campeonato da Europa de Estrada, em Alkmaar, Holanda.

O melhor resultado, na segunda jornada da competição, pertenceu a André Carvalho, 39.º na prova de sub-23.

O corredor de Vila Nova de Famalicão estreou-se nesta disciplina em Campeonatos da Europa de Sub-23.

Apesar de encarar o contrarrelógio essencialmente como parte do trabalho para se apresentar bem na prova de fundo, André Carvalho deu o máximo, terminando na 39.ª posição, a 2m19s do vencedor, o dinamarquês Johan Price-Pejtersen, que “voou” à média de 51,92 km/h para estabelecer um registo de 25m53. Seguiu-se o campeão mundial da disciplina e compatriota do vencedor de hoje, Mikkel Bjerg, a 12 segundos, e o suíço Stefan Bissegger, a 13.

“Sinto que ainda não tenho a consistência necessária nos contrarrelógios, disciplina que exige muito trabalho. Durante a prova de hoje tive momentos bons e outros em que me senti a ir abaixo, mas consegui sempre recuperar. Em alguns momentos talvez tivesse melhor rendimento se tirasse um ‘dente’ para trabalhar mais em cadência”, explica André Carvalho.

Jorge Magalhães também representou a Equipa Portugal no contrarrelógio de sub-23, ficando na 42.ª posição, a 2m29s do vencedor. “O terreno era muito chão. Numa prova assim, sabemos que vamos a dar tudo, pensamos que até estamos bem, mas acabamos por perceber que nos falta aquela ‘perna grande’ para desenvolver mais andamento”, admite o corredor.

Daniela Reis competiu no contrarrelógio de elite, cumprindo o plano de utilizar o exercício individual para preparar a prova de fundo. Acabaria por fechar a classificação, no 31.º lugar, a 5m05s da holandesa Ellen van Dijk, que confirmou o favoritismo, impondo-se com 28m07s. A medalha de prata foi para a alemã Lisa Klein, a 30 segundos, e a de bronze para a holandesa Lucinda Brand, com mais 52 segundos do que a compatriota.

“A Daniela teve um dia difícil, mas a participação no contrarrelógio visava sobretudo preparar de forma mais eficaz a prova de fundo, que vai exigir ritmo, pois acabará por tornar-se dura. Além do vento e da alta velocidade, haverá algumas viragens que obrigarão a mudanças de ritmo”, esclarece a selecionadora nacional de ciclismo feminino, Ana Rita Vigário.

Provas de fundo começam na sexta-feira

A Equipa Portugal terá uma jornada preenchida, nesta sexta-feira, com o arranque das provas de fundo. Às 8h00 começa a corrida de juniores femininas, que terá 69 quilómetros, com a participação de Daniela Campos.

O tiro de partida para os 92 quilómetros da prova de sub-23 femininas, na qual alinhará Maria Martins, está marcado para as 11h00. César Costa, Daniel Dias, Diogo Narciso, João Carvalho, João Macedo e Pedro Silva vão disputar os 115 quilómetros da corrida de juniores masculinos, a partir das 15h00.

Além do vento, que tem marcado toda a semana, as corridas de fundo serão marcadas pela chuva. O percurso plano irá tornar-se duro pela junção das condições meteorológicas e da ação das seleções mais poderosas.

Deixar uma resposta