O ciclista cazaque Alexey Lutsenko (Astana) venceu hoje a quarta etapa do Tirreno-Adriático, após ter sofrido duas quedas, a última das quais a cerca de 1,5 quilómetros da meta, em Fossombrone.

O britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott) segurou a liderança da prova, ao terminar a tirada no terceiro lugar, com o mesmo tempo de Lutsenko e do Primoz Roglic (Jumbo-Vista), segundo classificado.

Roglic subiu ao segundo lugar da classificação geral, a sete segundos de Yates, enquanto o holandês Tom Dumoulin (Sunweb) chegou ao terceiro, a 50 segundo.

Lutsenko foi o ‘herói’ do dia. O cazaque apostou numa fuga, chegou a ter 55 segundos de vantagem sobre o pelotão, caiu, manteve a dianteira, voltou a sofrer uma queda, a 1,5 quilómetros da meta, quando tinha 13 segundos de avanço, e conseguiu ‘sprintar’ para a vitória do ano.

O corredor da Astana, que cumpriu os 221 quilómetros da tirada, entre Foligno e Fossombrone, em 5:16.29 horas, ocupa agora o sexto lugar da classificação geral, a 1.16 minutos de Yates, que enverga a camisola azul de líder.

Rui Costa (UAE-Emirates) foi o melhor português na etapa, na 11.ª posição, a 23 segundos de Lutsenko, com Ruben Guerreiro (Katusha-Alpecin) a ser 28.º, a 2.47 minutos, José Gonçalves (Katusha-Alpecin) a ser 30.º, a 3.00, e Nelson Oliveira (Movistar), a terminar em 39.ª, a 5.40.

Na geral, Rui Costa subiu ao 12.º, a 1.48 minutos, Ruben Guerreiro é 29.º, a 4.31, José Gonçalves é 30.º, a 4.44, e Nelson Oliveira é 37.º, a 8.05.

Durante a etapa de hoje, o britânico Geraint Thomas, vencedor da Volta a França em bicicleta em 2018, abandonou a corrida italiana devido a problemas gástricos.

A quinta etapa vai ser disputada no domingo, nos 180 quilómetros entre Colli al Metauro e Recanati, numa tirada com quatro contagens de montanha, a última das quais coincidente com a chegada.

Deixar uma resposta