João Benta (Rádio Popular-Boavista) venceu hoje a oitava etapa da Volta a Portugal em bicicleta, no alto de Santa Quitéria, em Felgueiras, onde Joni Brandão foi segundo e defendeu a camisola amarela.

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

Esta sexta-feira foi João Benta que, a menos de 500 metros do alto de Santa Quitéria, em Felgueiras, lançou o ataque sintonizando-se com o triunfo na oitava etapa, tal como na véspera acontecera com Luís Gomes.

Aos festejos do triunfo, e depois de beijar a filha de 11 meses, Benta que também é conhecido pelo “ciclista cantor” decidiu fazer da reta da meta palco para um pequeno momento musical.

A Volta continua presa por um segundo

Sempre atento e bem posicionado à entrada da rampa final que conduziu à meta de Felgueiras, o Camisola Amarela respondeu à investida axadrezada de João Benta.

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

No fim, Joni Brandão (Efapel) foi segundo e o principal rival, João Rodrigues (W52-FC Porto), ficou logo atrás com os mesmos dois segundos de diferença.

Estes resultados mantêm a Classificação Geral inalterada, ou seja, o líder da Volta continua com um segundo apenas de vantagem. O terceiro da geral, Gustavo Veloso, perdeu três segundos e ficou a 18 da frente.

Viana abriu o coração à Volta

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

Seja porque a Volta está chegar ao fim, seja porque o líder fala português e nada está definido quanto a vencedores, a certeza é que a oitava tirada da 81ª Volta a Portugal Santander, a mais urbana, foi banhada por um mar de gente.

Depois da visita do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, o pelotão saiu de Viana do Castelo disposto a salpicar de cor os 158 quilómetros até Felgueiras. Por onde passou a Volta arrastou milhares de pessoas para a beira das estradas, aplaudindo primeiro Ricardo Mestre (W52-FC Porto) e o suíço Gian Friesecke (Swiss Race Academy) que andaram fugidos muito tempo.

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

A Efapel, equipa do Camisola Amarela, que controlou o andamento da coluna, deixou vingar a iniciativa mas já não deixou escapar outros portistas quando ensaiaram outras escapadelas.

A menos de 20 quilómetros da meta, o suíço foi engolido e Mestre ainda reagiu, mas durante pouco tempo, esfumando-se a fuga pouco mais à frente. Começou então o capítulo final desta etapa cujo desfecho terminou na rampa onde foi decidida a chegada a Felgueiras.

Declarações após a oitava etapa da 81.ª Volta a Portugal:

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

João Benta (vencedor da etapa e sexto à geral): “Todas as vitórias na Volta a Portugal são importantes. Depois de quinta-feira, hoje foi completar com mais uma vitória, e a Volta termina dia 11. Temos de ir até ao fim. A Volta é muito bonita, e podem contar com o Benta até final.

Sabia que era uma chegada que podia causar diferenças. O Daniel Silva tentou endurecer a entrada, o Edgar Pinto e o Robigson Oyola tentaram atacar. Ao chegar perto deles, arranquei e sofri até ao risco.

Sinto-me bem [com a vitória]. Fico extremamente agradecido a toda a gente, hoje foi especial porque passei pelo meu município em Esposende. Toda a gente gritava o meu nome e agradeço-lhes. A vitória vai para a equipa”.

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

Joni Brandão (segundo na etapa e líder da geral): “Está tudo igual nos dois primeiros, apenas separados por um segundo. As forças estão equiparadas. Amanhã [sábado] será uma etapa bastante dura, e no contrarrelógio é cada um por si. Está tudo em aberto.

Existiram muitos ataques, fomos bastante atacados, mas mantivemos o grupo e conseguimos defender a amarela.

[Sobre a Senhora da Graça] As subidas são ao meu gosto quando tenho força. Quando não tenho, nem uma ponte é ao meu gosto. Espero estar num dia sim e conseguir estar na discussão da etapa e da Volta. Se tiver pernas e tiver de jogar ao ataque, jogo. Se não tiver, vou ter de me conter.

Não tive uma primeira semana como queria. Defendi-me na Torre para não perder muito tempo. Esta segunda semana está a correr bem. Tenho a amarela.

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

[Sobre João Rodrigues, que disse querer chegar ao topo da Senhora da Graça à frente do camisola amarela] Acho que é uma boa atitude. Espero que o faça, é sinal de que está muito forte. Eu sei que está. Mas estão muito equiparadas. São duas finais que aí vêm, uma que se vai jogar muito taticamente, com todas as equipas a atacar, e outra que só depende de mim”.

João Rodrigues (terceiro na etapa e segundo à geral): “Amanhã [sábado] é uma etapa da alta montanha. Os homens da geral vão estar bastante ativos, como nós, que queremos ganhar a Volta. Tudo faremos para ganhar tempo. Vai ser o tudo por tudo.

Quero chegar na frente. Lado a lado não quero. Queremos é chegar na frente e é para isso que vamos trabalhar, para atacar a corrida”.

Gustavo Veloso (quinto na etapa e terceiro à geral): “Foi um ritmo explosivo desde o início. Foi um ritmo de morte, consegui perder o menor tempo possível, já não é mau.

Hoje estou melhor do que quinta-feira [após queda de quarta]. Ainda não a 100%, mas pelo menos hoje já conseguia fazer força sentado. O problema que tenho é quando me levanto e quero mudar o ritmo, não consigo, ainda me dói, tenho um toque na anca. Fico contente porque melhorei muito, espero estar melhor ainda.

[Sobre a nona etapa, subida à Senhora da Graça] É uma etapa em que temos de dar tudo, temos de ir ao limite. É o último dia em equipa, depois o contrarrelógio já é uma questão individual”.

Edgar Pinto (nono na etapa e nono na geral): “Foi uma etapa a bom ritmo, tentámos desgastar os líderes. Tiveram a sorte de outras equipas colaborarem com eles. No final, tentámos endurecer, ao máximo, consegui fazer alguns estragos e apenas nos faltou a vitória.

[Sobre a Senhora da Graça] Toda a gente sabe que vai ser muito dura, talvez a mais dura da Volta. É a nona etapa e tudo é possível”.

Vai ser uma Graça a Senhora Etapa deste Sábado

8a Etapa 158km 9/08, Viana do Castelo – Felgueiras (Sta Quiteria) durante a 81ª Volta a Portugal Santander 2019, Foto PODIUM / Paulo Maria

O penúltimo dia de Volta começa em Fafe, onde no ano passado terminou a Volta. Até Mondim de Basto serão feitos 133,5 quilómetros, ou seja, é a etapa em linha mais curta deste ano, mas nem por isso será menos exigente.

Das cinco contagens de montanha, três são de primeira categoria. A subida ao Monte Farinha, mais conhecido pelo alto da Senhora da Graça, depois de atravessar o “mar de gente” de Mondim, é sempre algo muito especial na Volta.

Deixar uma resposta