2018 UCI Road World Championships | Portugal ambiciona discutir a prova de fundo para sub-23

102

A Equipa Portugal sai à estrada, amanhã, motivada para bater-se pelas primeiras posições na prova de fundo para sub-23 do Campeonato do Mundo de Estrada, que está a realizar-se em Innsbruck, Áustria.

O coletivo nacional, formado por André Carvalho, Gonçalo Carvalho, João Almeida e Tiago Antunes, quer dar seguimento no Mundial aos bons desempenhos conseguidos durante a temporada, dos quais se destacam o sétimo lugar na Volta a França do Futuro e a quinta posição na Ronde de l’Isard, dois resultados com assinatura de João Almeida.

“Temos uma equipa de grande qualidade, com corredores que se apresentam rodados e em condições de entrar na discussão de uma corrida que será duríssima. Nesta época estivemos entre os primeiros na maior parte das provas internacionais de sub-23 em que participámos e queremos manter esse nível no Campeonato do Mundo”, afirma o selecionador nacional, José Poeira.

A prova de fundo para sub-23, com início marcado para as 11h10 (hora portuguesa) desta sexta-feira, terá uma extensão de 174,3 quilómetros, unindo Kufstein a Innsbruck.

A prova arranca em terreno plano com alguns topos, esperando-se a primeira seleção nos 2,6 quilómetros da subida para Gnadenwald, quando estiverem deixados para trás 70 quilómetros. Apesar de curta, é uma subida muito inclinada, com 10,5 por cento de inclinação média.

A cerca de 100 quilómetros do fim entra-se no “circuito olímpico”, que inclui quatro escaladas a Patscherkofel, com 7,9 quilómetros de extensão. O sobe e desce do circuito, contribuindo de forma decisiva para o acumulado de 2910 metros, vai dizimar o pelotão, antevendo-se uma corrida em que os trepadores levarão a melhor.

João Almeida deu mostras, ao longo da temporada, de ser um dos melhores trepadores do pelotão mundial de sub-23, estando confiante para o Mundial. “Se estiver num dia bom consigo estar com os 15/20 melhores e no final será necessário um pouco de sorte, embora saibamos que a sorte dá muito trabalho. Nas últimas semanas fiz provas longas e duras na Bélgica, que contribuíram para o meu estado de forma. Preparei-me bem. Agora resta ver como corre”, diz o ciclista da equipa continental profissional Hagens Berman Axeon.

Tiago Antunes é outro trepador com provas dadas que, nas últimas semanas, competiu no centro da Europa sempre a pensar na prova de fundo de Innsbruck. “Já tive oportunidade de reconhecer o percurso. Considero que é bastante duro, o que me assenta bem. Espero estar em condições de obter um bom lugar. Desde a Volta a Portugal do Futuro tenho feito corridas de grande nível, sempre a sentir-me bem. Por isso, espero que a forma esteja no ponto”, adianta o ciclista bombarralense.

Gonçalo Carvalho, melhor português na classificação da juventude da Volta a Portugal, vai estrar-se como sub-23 no Campeonato do Mundo, sentindo-se galvanizado pela experiência: “É a primeira vez que estou num Mundial, o que é gratificante. Preparei-me para chegar em boas condições estou motivado para uma corrida que me agrada, porque sou um trepador”.

André Carvalho já é um repetente no Campeonato do Mundo e tem uma experiência sempre muito útil ao coletivo nacional. “Fiz uma época muito longa, com mais de 50 dias de competição, o que, para um sub-23, é uma temporada muito preenchida. A minha ambição é estar nas melhores condições, amanhã, dando o máximo para representar o meu país”, confessa o famalicense.

Deixar uma resposta